Antropólogos sobre Donata Meirelles: o que faz alguém se vestir de sinhá?

A diretora de estilo da revista "Vogue Brasil", Donata Meirelles, comemorou a chegada de seus 50 anos com uma festa, em Salvador; nas fotos do evento, mulheres negras fantasiadas de mucama faziam a recepção dos convidados; as mulheres, vestidas de escravas, ficavam com abanadores ao lado de "tronos de sinhá" para que os convidados pudessem fazer o registro fotográfico; a antropóloga e historiadora Lilia Moritz Schwarcz e o antropólogo Hélio Menezes condenaram a postura de Donata

Antropólogos sobre Donata Meirelles: o que faz alguém se vestir de sinhá?
Antropólogos sobre Donata Meirelles: o que faz alguém se vestir de sinhá?

247 - Na última sexta-feira (8), a diretora de estilo da revista "Vogue Brasil", Donata Meirelles, comemorou a chegada de seus 50 anos com uma festa em Salvador. Nas fotos do evento, mulheres negras fantasiadas de mucama faziam a recepção dos convidados; as mulheres, vestidas de escravas, ficavam com abanadores ao lado de "tronos de sinhá" para que os convidados pudessem fazer o registro fotográfico.

A antropóloga e historiadora Lilia Moritz Schwarcz e o antropólogo Hélio Menezes foram alguns dos estudiosos e influenciadores que usaram as redes sociais para se manifestar sobre o tema, segundo informou o Portal UOL. 

"Alguém me explique o que faz uma diretora de uma famosa revista feminina se vestir de sinhá e ficar recebendo os convidados ao lado de duas mucamas? É isso que se chama racismo estrutural! Um racismo tão enraizado que parece invisível", explicou Schwarcz, em publicação no Instagram.

Hélio Menezes, por sua vez, comparou a cena de Donata sentada em meio às mulheres negras vestindo roupas brancas a uma série de fotos antigas, do período colonial. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247