Anvisa proíbe Globo de ter acesso à agência para fazer filme sobre vacina

Anvisa diz que a “resposta negativa à demanda se deu pelo fato que a agência trata em seus processos de trabalho com informações sigilosas, dados protegidos por propriedade intelectual"

Fachada do edifício sede da agência nacional de vigilância sanitária (ANVISA). 11/11/2020
Fachada do edifício sede da agência nacional de vigilância sanitária (ANVISA). 11/11/2020 (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Metrópoles - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) realizou uma reunião extraordinária, na última sexta-feira (23), em que os diretores decidiram, por unanimidade, pela proibição da Globo em ter acesso à agência para fazer um documentário sobre vacinas da Covid-19.

Na decisão, a Anvisa diz: “Solicitação da autorização, pleiteada pelo Sr. Álvaro Pereira Junior, diretor da Rede Globo, no sentido de que equipe técnica da emissora tenha acesso à Agência Nacional de Vigilância Sanitária para a produção de um documentário sobre vacinas da Covid-19, a ser exibido no GloboPlay/TV Globo a partir de abril de 2021. Deliberação: Não autorizada, por unanimidade”.

Em nota enviada ao Metrópoles, a Anvisa alega: “A resposta negativa à demanda se deu pelo fato que a agência trata em seus processos de trabalho com informações sigilosas, dados protegidos por propriedade intelectual e precisa prevenir a ocorrência de qualquer possibilidade de quebra de confidencialidade e sigilo de seus documentos”.

“O pedido solicitava a permanência da equipe por longo prazo para registro de todas as atividades, o que é incompatível com o sigilo dos processos e com as restrições sanitárias impostas pela pandemia”, ressalta a nota.

A agência também informou que vai continuar atendendo a todas as demandas de imprensa – com exceção desta que a Globo fez.

“Atuamos assim em defesa do interesse público e da credibilidade e da confiança que foram reconhecidas à Anvisa, em nível nacional e internacional, pelos setores público e privado”, conclui a nota.

Confira a reportagem completa no site Metrópoles.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247