Anvisa proíbe venda de mamadeiras com bisfenol

Estudos apontam riscos quando h exposio substncia, mesmo em nveis inferiores aos considerados seguros atualmente

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Brasil – Mamadeiras fabricadas no Brasil ou importadas para uso no país não poderão mais conter a substância bisfenol A, informou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A decisão tem como base estudos recentes que apontam riscos decorrentes da exposição à substância – mesmo em níveis inferiores aos que atualmente são considerados seguros.

“Apesar de não haver resultados conclusivos sobre o risco do bisfenol A, a decisão da Anvisa atende ao princípio da precaução e busca proteger as crianças" de até 12 meses, informou a agência, em nota. O bisfenol A está presente no policarbonato, que é uma substância utilizada na fabricação de mamadeiras. O principal substituto do policarbonato nesses utensílios, segundo a Anvisa, é o polipropileno.

Os fabricantes e importadores de mamadeiras terão 90 dias, a partir da publicação da medida no Diário Oficial da União, para cumprir a determinação. As mamadeiras fabricadas ou importadas dentro do prazo de 90 dias poderão ser comercializadas até 31 de dezembro deste ano.

A Anvisa informou que a proibição está alinhada às medidas já adotadas em países como o Canadá e os Estados e países da União Europeia. No Mercosul, completou a agência, medida semelhante deverá ser adotada em breve.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247