Apoiador do golpe, Flávio Rocha vira réu por coação

O empresário Flávio Rocha, dono da Riachuelo e apoiador do golpe que destituiu Dilma Rousseff, acaba de virar réu na Justiça Federal do Rio Grande do Norte, acusado de coação, calúnia e injúria contra uma procuradora do Trabalho que questionou a contratação de terceirizados pela Guararapes, firma que controla a rede de lojas de departamento; Rocha chegou a "contratar" o MBL para intimidar a procuradora

DIL6461 S�O PAULO 08/05/2014 NACIONAL Fl�vio Rocha empres�rio da Riachuelo, durante encontro com l�deres do varejo realizado no hotel Grand Hyatt. FOTO: JF DIORIO / ESTAD�O CONTE�DO
DIL6461 S�O PAULO 08/05/2014 NACIONAL Fl�vio Rocha empres�rio da Riachuelo, durante encontro com l�deres do varejo realizado no hotel Grand Hyatt. FOTO: JF DIORIO / ESTAD�O CONTE�DO (Foto: Giuliana Miranda)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O dono da Riachuelo, Flávio Rocha, se tornou réu na Justiça Federal do Rio Grande do Norte. Ele é acusado pelo Ministério Público Federal de coação, calúnia e injúria contra uma procuradora do Trabalho que questionou a contratação de terceirizados pela Guararapes, firma que controla a rede de lojas de departamento.

Procurado, Rocha não quis comentar. Pessoas próximas lembram que, em outubro, quando o embate com o Ministério Público chegou ao limite, empregados das confecções terceirizadas decidiram doar um dia de trabalho para ajudar a pagar o advogado do empresário.

Rocha foi um dos grandes apoiadores do golpe que derrubou a presidente legítima Dilma Rousseff.

As informações são da coluna Painel da Folha de S.Paulo.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247