Após delatar Lula e Dilma, Palocci põe tornozeleira e vai para casa

O ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci, preso desde setembro de 2016 na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, já foi levado à sede da Justiça Federal do Paraná para colocar uma tornozeleira eletrônica; dali, ele seguirá para sua residência, onde cumprirá o regime semiaberto domiciliar, pelo qual ficará em casa somente à noite e nos finais de semana; acordo que permitiu sua saída da prisão foi homologado nesta quarta-feira (28), após ele incluir em sua delação premiada os nomes do ex-presidente Lula e da presidente deposta Dilma Rousseff como envolvidos em casos de corrupção

Após delatar Lula e Dilma, Palocci põe tornozeleira e vai para casa
Após delatar Lula e Dilma, Palocci põe tornozeleira e vai para casa (Foto: REUTERS/Rodolfo Buhrer)

247 - O ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci, preso desde setembro de 2016 na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, já foi levado à sede da Justiça Federal do Paraná para colocar uma tornozeleira eletrônica. Dali, ele seguirá para sua casa, onde cumprirá o regime semiaberto domiciliar. O acordo que permitiu sua saída da prisão foi firmado após ele incluir em sua delação premiada os nomes do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente deposta Dilma Rousseff como estando envolvidos em casos de corrupção.

Conforme determinação da 12ª Vara Federal, Palocci deverá pagar mensalmente os custos da tornozeleira eletrônica, da ordem de R$ 149. A progressão da pena de 12,2 anos de reclusão – e a redução da sentença para 9,10 anos de prisão - foi decidida nesta quarta-feira (28) por dois dos três desembargadores da 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), que julgaram que os termos do acordo de delação premiada do ex-ministro foram efetivos. O tempo que ele já passou na prisão será descontado do total da pena.

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247