Após ser abandonada por Bolsonaro, Sarah Winter agora diz que bolsonarismo “é uma ditadura”

Extremista diz que que no Brasil há duas ditaduras: a do Supremo Tribunal Federal e a promovida por Jair Bolsonaro

Sara Winter
Sara Winter (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News

Carta Capital - A militante extremista Sara Winter afirmou que no Brasil há duas ditaduras: a do Supremo Tribunal Federal e a promovida pelo presidente Jair Bolsonaro e seus apoiadores. As declarações de ‘arrependimento’ da ex-aliada do governo federal foram dadas ao jornal Folha de S. Paulo.

“De um lado tem a ditadura do STF suprimindo a liberdade de expressão e, do outro, a ditadura bolsonarista que destrói qualquer um que não venere o Jair”, afirma a militante da extrema-direita ao expressar seu descontentamento com o antigo aliado.

Sara está presa desde junho de 2020 após liderar o grupo ‘300 do Brasil’ em protestos de ataques ao STF permeados por uma estética Ku Kux Klan, com máscaras brancas e tochas. A extremista foi presa no inquérito de atos antidemocráticos por ordem de Alexandre de Moraes e considera ter sido abandonada por Bolsonaro e seus apoiadores.

PUBLICIDADE

Leia a íntegra da matéria na Carta Capital

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email