Aras envia ao CNMP pedido do STJ para investigar procuradores da Lava Jato

O presidente do STJ, ministro Humberto Martins, pediu que o PGR investigue, em âmbito administrativo e criminal, a revelação de que o procurador Deltan Dallagnol sugeriu pedir à Receita Federal uma análise patrimonial dos ministros do STJ

Augusto Aras e Deltan Dallagnol
Augusto Aras e Deltan Dallagnol (Foto: Lula Marques | José Cruz/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O procurador-geral da República. Augusto Aras, enviou à Corregedoria do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) o pedido do Superior Tribunal de Justiça (STJ) para que procuradores da operação Lava Jato sejam investigados. 

No pedido, o presidente do STJ, ministro Humberto Martins, pede que o PGR investigue em âmbito administrativo e criminal a revelação de que o procurador Deltan Dallagnol sugeriu pedir à Receita Federal uma análise patrimonial dos ministros do STJ

A investida de Dallagnol contra o STJ consta nas mensagens trocadas pelo ex-juiz Sérgio Moro e procuradores da Lava Jato apreendidas na operação Spoofing, à qual a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve acesso confirmado pelo Supremo Tribunal Federal

Aras recebeu a manifestação do ministro Humberto Martins e despachou o assunto para o corregedor nacional do CNMP, Rinaldo Reis, a quem caberá analisar se há elementos de infração funcional suficientes para abrir uma sindicância contra os procuradores. Aras ainda analisa se dará prosseguimento a alguma investigação do ponto de vista criminal sobre os procuradores.

Em nota ao CNMP, Dallagnol e outros ex-integrantes da força-tarefa afirmam que "jamais praticaram qualquer ato de investigação sobre condutas de autoridades detentoras de foro por prerrogativa de função, sejam ministros do STJ, seja qualquer autoridade".

 Inscreva-se na TV 247, seja membro, e compartilhe:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email