Arthur Lira defende o fim da vinculação de verbas do Orçamento para Saúde e Educação

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) diz que sua prioridade é garantir ao Congresso o controle do Orçamento federal. Isto inclui medidas que podem implicar arrocho fiscal comprometendo ainda mais setores fundamentais para o desenvolvimento social, como Saúde e Educação, pois uma de suas metas é acabar com a vinculação de verbas para qualquer área

Arthur Lira
Arthur Lira (Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) quer que o Congresso Nacional assuma o controle total do Orçamento federal. Ele defende acabar com toda e qualquer verba carimbada, incluindo as destinadas aos setores de Saúde e Educação. 

"O Congresso hoje é um carimbador do Orçamento. O Orçamento vem pronto, todo pré-fixado, com 96% de despesas carimbadas. Defendo a desvinculação total do Orçamento", afirmou Lira em entrevista ao jornal O Globo. "Hoje, você tem orçamento que bota 25% pra educação, 30% pra saúde, “x” para penitenciárias, vem todo carimbadinho".

Sem oferecer detalhes, Lira defende a criação de um auxílio permanente para a população sem renda, "um irmão gêmeo do Bolsa Família, só que mais aprimorado", esquivando-se de quantificar os beneficiários do programa. 

O novo chefe da Câmara opina que todas as reformas têm que ser aprovadas em 2021. "Meu calendário é o seguinte: votamos a Emergencial e o Pacto Federativo nesses próximos 30, 40 dias, tanto no Senado quanto na Câmara. A Administrativa, na semana que vem espero instalar as comissões. A Tributária, o acerto que nós fizemos foi agora, entre os dias 25 e 28, ler o relatório da comissão mista. Em qualquer perspectiva, era muito mais fácil você ter a aprovação de reformas nos dois primeiros anos do mandato. Mas esse terceiro ano está, assim, uma safra de vinho muito boa. O presidente do Senado que tem um relacionamento muito bom com o da Câmara, que tem um relacionamento muito bom com o presidente da República, que está construindo um relacionamento muito bom com o Judiciário". 

Lira considera que o problema do general Pazuello à frente do Ministério da Saúde não é sua incompetência, mas apenas defeitos na comunicação. "O ministro Pazuello se comunica muito mal. Eu costumo dizer que, se a gente tivesse o Mandetta comunicando e o Pazuello trabalhando, a gente tinha a dupla ideal". E afirma peremptório que tem certeza de que não é hora de abrir uma CPI para apurar a má condução da pandemia pelo governo. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email