Até Moro achou "soberba" a escultura que Dallagnol quis erguer para simbolizar a destruição da política e do Judiciário

Infelizmente para Deltan, o chefe de força-tarefa, Sergio Moro (não exatamente reconhecido por sua humildade), rejeitou a proposta como prematura. "Melhor deixar para depois", disse o chefe a Deltan. Moro disse que homenagens "devem vir de terceiros", postou o jornalista Glenn Greenwald, sobre o novo capítulo da Vaza Jato

Deltan Dallagnol e Segio Moro
Deltan Dallagnol e Segio Moro (Foto: ABr)

247 – O plano traçado por Deltan Dallagnol para levantar uma escultura em Curitiba que homenageasse a Lava Jato e simbolizasse a destruição dos sistemas político e jurídico do Brasil (saiba mais aqui) foi rechaçado pelo ex-juiz Sergio Moro, que considerou a ideia "soberba". À frente da Lava Jato, Deltan conseguiu destruir todo o setor de engenharia nacional, a democracia brasileira e também o sistema político tradicional. O Judiciário, que se tornou refém da Lava Jato, acabou perdendo completamente a credibilidade, uma vez que mantém o ex-presidente Lula há mais de 500 dias como preso político. A vaidade de Deltan mereceu uma sequência de tweets de Glenn Greenwald, editor do Intercept:

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247