Autoritarismo, democracia e eleições

"É extremamente preocupante" para a nossa democracia que as ideias, "envoltas na apologia da violência, elogio da tortura e de torturadores, na incitação ao fuzilamento de opositores, com aquiescência por vezes das autoridades judiciais, encontrem ressonância entre muitos eleitores", dizem os pesquisadores Paulo Sérgio Pinheiro e Marcos César Alvarez

Autoritarismo, democracia e eleições
Autoritarismo, democracia e eleições

247 - Não surpreende vermos surgir na atual campanha eleitoral "concepções autoritárias e extremistas que oferecem soluções simplistas para nossos graves e complexos problemas sociais, sobretudo aqueles relacionados à violência", dizem Paulo Sérgio Pinheiro, pesquisador associado do Núcleo de Estudos da Violência NEV/USP, e Marcos César Alvarez, vice-coordenador do Núcleo de Estudos da Violência NEV/USP e professor Livre-docente do Departamento de Sociologia da USP.

"É extremamente preocupante para a nossa democracia que tais ideias, envoltas na apologia da violência, elogio da tortura e de torturadores, na incitação ao fuzilamento de opositores, com aquiescência por vezes das autoridades judiciais, encontrem ressonância entre muitos eleitores. Retomar, nesse pleito presidencial, a defesa da cidadania e dos direitos humanos é não só a única opção democrática possível como uma escolha histórica na direção da civilização e não do retorno à barbárie da ditadura de 1964", afirma os estudiosos em texto publicado no jornal El País.

Os pesquisadores enfatizam que "a Constituição de 1988, sem dúvida, condensou as expectativas de construção de uma sociedade menos violenta, mais justa, democrática, graças também à renovação das instituições do Estado". "Tem sido flagrante a resistência à assimilação de práticas e rotinas democráticas pelas instituições, essenciais para o funcionamento da democracia (especialmente o poder judiciário, o ministério público, a polícia), decisivas para garantir o tratamento justo e igualitário dos cidadãos perante a lei, bem como a não discriminação dos negros, dos indígenas e de gênero".

Leia a íntegra da análise

 

 

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247