CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Brasil

Ayres Britto confirma voto fatiado do 'mensalão'

Presidente do Supremo Tribunal Federal informa que o julgamento da Ação Penal 470 será votado por partes, como pediu o relator do caso, Joaquim Barbosa; revisor Ricardo Lewandowski defende que cada ministro leia sua posição por inteiro; sobre a participação de Cesar Peluzo, que se aposenta em setembro, "vai depender do andar da carruagem"

Ayres Britto confirma voto fatiado do 'mensalão' (Foto: Edição/247)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

Yara Aquino, da Agência Brasil– O presidente do Supremo Tribunal Federal, Carlos Ayres Brito, confirmou nesta sexta-feira 17 que o julgamento do mensalão terá votação por partes, chamada votação fatiada, conforme quer o ministro relator, Joaquim Barbosa.

"Vai ser fatiado, de acordo com a metodologia adotada pelo ministro Joaquim Barbosa quando do recebimento da denúncia. Mesmo método, por capítulos", disse Ayres Britto antes de participar da cerimônia de posse de procuradores federais que vão reforçar a Advocacia-Geral da União.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

O formato do julgamento gerou polêmica entre os ministros na noite desta quinta-feira 16. O voto do relator, Joaquim Barbosa, segue a sequência dos oito itens apresentados pela Procuradoria-Geral da União na denúncia, e ele quer que o plenário vote ao final de cada capítulo.

O revisor do processo, ministro Ricardo Lewandowski, separou suas considerações segundo a conduta de cada réu e defendeu que cada ministro leia seu voto por inteiro.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Na prática, isso poderia levar à situação de Barbosa terminar de ler trecho de seu voto, passar a palavra para o revisor e Lewandowski ler as mais de mil páginas de seu voto, sem interrupção. Dessa forma, ele se anteciparia ao relator, o que é vedado pelo regimento interno do Tribunal.

Ao ser questionado se a adoção do formato proposto por Joaquim Barbosa poderia impedir a participação do ministro Cesar Peluzo no julgamento de todos os réus, já que ele se aposenta no início de setembro, Ayres Britto evitou responder com precisão. "Não sei. Vai depender do andar da carruagem".

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

 

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO