Baiano diz que Delcídio recebeu mais de US$ 1 mi em propina

Em acordo de delação premiada, o lobista Fernando Baiano citou o senador Delcídio Amaral (PT) como um dos beneficiários do esquema de corrupção na Petrobras; segundo Baiano, Amaral recebeu propina na compra da refinaria de Passadena; o senador disse que considera "um absurdo" o nome dele ser citado

Em acordo de delação premiada, o lobista Fernando Baiano citou o senador Delcídio Amaral (PT) como um dos beneficiários do esquema de corrupção na Petrobras; segundo Baiano, Amaral recebeu propina na compra da refinaria de Passadena; o senador disse que considera "um absurdo" o nome dele ser citado
Em acordo de delação premiada, o lobista Fernando Baiano citou o senador Delcídio Amaral (PT) como um dos beneficiários do esquema de corrupção na Petrobras; segundo Baiano, Amaral recebeu propina na compra da refinaria de Passadena; o senador disse que considera "um absurdo" o nome dele ser citado (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em acordo de delação premiada, o lobista Fernando Baiano citou o senador Delcídio Amaral (PT) como um dos beneficiários do esquema de corrupção na Petrobras.

Segundo Baiano, Amaral recebeu propina na compra da refinaria de Passadena. Ele contou que o petista teria recebido entre 1 milhão ou 1,5 milhão de dólares. O dinheiro teria sido usado para a campanha do senador ao governo do Mato Grosso do Sul em 2006. 

O senador disse que considera "um absurdo" o nome dele ser citado. Abaixo, nota divulgada pelo petista:

Em respeito à verdade, transcrevo a íntegra da minha resposta que o Jornal Nacional simplesmente ignorou na matéria onde sou citado:

1 - Além de absurdo, é muito estranho que meu nome tenha sido novamente citado nessa investigação, colocado numa época em que eu era considerado "persona non grata" por todos que estavam sendo investigados pela CPMI dos Correios, cuja presidência exerci exatamente nesse período (2005/2006).
2 - Fui apresentado ao senhor Fernando Soares, na década de 90 pelo empresário Gregório Marin Preciado, e, depois dessa época, nunca mais o vi nem tive nenhum tipo de contato com o mesmo.
3 - Lembro que a própria Procuradoria Geral da República solicitou ao STF (e foi atendida) o arquivamento de procedimentos onde meu nome foi citado no âmbito dessas investigações.

Delcídio Amaral
Senador (PT-MS)

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email