Banco do Brasil paga R$ 47,5 mil por mesa em evento pró-Bolsonaro em NY

O Banco do Brasil pagou R$ 47,5 mil (o equivalente a US$ 12,5 mil dólares) por uma mesa de dez lugares no jantar de gala em homenagem ao presidente Jair Bolsonaro no hotel Marriott; diferentemente do que fez nos últimos 49 anos, o BB optou agora pela aquisição da dezena de convites em uma mesa;  o PSOL irá entrar com uma representação na Comissão de Ética da Presidência, com o intuito de cobrar esclarecimentos de Bolsonaro

Banco do Brasil paga R$ 47,5 mil por mesa em evento pró-Bolsonaro em NY
Banco do Brasil paga R$ 47,5 mil por mesa em evento pró-Bolsonaro em NY

247 - O Banco do Brasil pagou R$ 47,5 mil (o equivalente a US$ 12,5 mil dólares) por uma mesa de dez lugares no jantar de gala em homenagem ao presidente Jair Bolsonaro que a Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos promove em 14 de maio no hotel Marriott Marquis. A informação é do jornal O Globo. 

Essa será a primeira vez que o BB contribuirá de maneira tão significativa com o evento, que acontece anualmente desde 1970. Integrante da Câmara de Comércio desde a fundação, há cinquenta anos, o banco estatal costumava comprar convites avulsos para que alguns dos integrantes da diretoria executiva marcassem presença nessas ocasiões. Durante as cinco décadas, foram homenageadas personalidades como os ex-presidentes Bill Clinton (dos Estados Unidos, entre 1993 e 2001) e Fernando Henrique Cardoso (do Brasil, entre 1995 e 2002).

Diferentemente do que fez nos últimos 49 anos, o BB optou agora pela aquisição da dezena de convites em uma mesa. Ela não estará, porém, entre a lista das melhoras localizadas no salão de eventos do Marriott. Em nota oficial, o banco esclareceu que o objetivo da compra é "estreitar o relacionamento negocial com investidores institucionais e empresas" e que "os principais bancos brasileiros, instituições financeiras estrangeiras e outras empresas também adquiriram mesas para seus clientes" ( a íntegra da nota segue ao fim da reportagem ).

A edição de 2019 do "Prêmio Pessoa do Ano" foi precedida por uma série de reveses relacionadas à homenagem a Bolsonaro. Inicialmente, dois espaços desistiram de sediar a solenidade (o Museu de História Natural e o Cipriani Hall) após pressões do prefeito de Nova York, o democrata Bill de Blasio, e de integrantes do movimento ambientalista e da comunidade LGBTI. Em seguida, três empresas desistiram de patrocinar a festa . Entre os patrocinadores que ainda mantêm apoio ao evento estão os bancos HSBC, Citigroup, JPMorgan, UBS, Bank of New York Mellon, Santander, BNP Paribas, além da revista Forbes Brasil.

PSOL representa contra Bolsonaro 

O deputado federal Ivan Valente (PSOL-SP) anunciou nesta sexta-feira, através de sua conta no Twitter, que o PSOL irá entrar com uma representação na Comissão de Ética da Presidência, com o intuito de cobrar esclarecimentos de  Bolsonaro sobre o uso de dinheiro público para auto-promoção Leia mais aqui

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247