Bandeira de Mello vê "óbvia intenção" de Veja "interferir" na eleição

O jurista Celso Bandeira de Mello criticou duramente a matéria da revista Veja, antecipada em 48 horas, na qual o doleiro Alberto Youssef supostamente responde a um delegado que Lula e Dilma "sabiam de tudo", em referência ao esquema de propina na Petrobras; em nota, ele classifica a matéria foi publicada com a "óbvia intenção de interferir em livre vontade do eleitor, nas quais, sem prova alguma, sem, sequer indícios demonstrados, assacaram contra a Presidente da República e um ex-presidente acusações da mais extrema gravidade"

O jurista Celso Bandeira de Mello criticou duramente a matéria da revista Veja, antecipada em 48 horas, na qual o doleiro Alberto Youssef supostamente responde a um delegado que Lula e Dilma "sabiam de tudo", em referência ao esquema de propina na Petrobras; em nota, ele classifica a matéria foi publicada com a "óbvia intenção de interferir em livre vontade do eleitor, nas quais, sem prova alguma, sem, sequer indícios demonstrados, assacaram contra a Presidente da República e um ex-presidente acusações da mais extrema gravidade"
O jurista Celso Bandeira de Mello criticou duramente a matéria da revista Veja, antecipada em 48 horas, na qual o doleiro Alberto Youssef supostamente responde a um delegado que Lula e Dilma "sabiam de tudo", em referência ao esquema de propina na Petrobras; em nota, ele classifica a matéria foi publicada com a "óbvia intenção de interferir em livre vontade do eleitor, nas quais, sem prova alguma, sem, sequer indícios demonstrados, assacaram contra a Presidente da República e um ex-presidente acusações da mais extrema gravidade" (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 – O jurista Celso Bandeira de Mello criticou duramente a matéria da revista Veja, antecipada em 48 horas, na qual o doleiro Alberto Youssef  responde a um delegado que Lula e Dilma “sabiam de tudo”, em referência ao esquema de propina na Petrobras. O curioso é que próprio advogado do doleiro, Antonio Figueiredo Basto, desmentiu a declaração do seu cliente publicada em Veja. "Não conheço esse depoimento, não conheço o teor dele. Estou surpreso", disse.

Em nota, Bandeira de Mello classifica a matéria foi publicada com a “óbvia intenção de interferir em livre vontade do leitor, nas quais, sem prova alguma, sem, sequer indícios demonstrados, assacaram contra a Presidente da República e um ex-presidente acusações da mais extrema gravidade”.

Leia o texto na íntegra:

Nós cidadãos temos o direito de escolher para o próximo mandato, quem nos parece para mais adequado para isto. Seja a postura da direita, seja a postura da esquerda, podem ser o alvo de nossa preferência sem que isto implique no ódio pelos quem pensem de modo contrário ao nosso e sem que isto nos dê o direito de ofendê-los e muito menos o de usar da imprensa para veicular notícias infundadas ou precipitadamente acusatórias, sem prova alguma, para não dizer, sem que isto dê o direito de proferir inverdades para dizer mentiras a respeito do candidato a que nos opomos. O desejo de captar votos ou de desestimular o voto em que consideremos adversários não nos libera para a prática de comportamentos imorais e indignos. Manifestando-me, não como eleitor, cujas preferências obviamente são respeitáveis, mas como advogado e como professor de direito por quase 50 anos, quero exprimir o que seria um repúdio e um alerta contra duas publicações efetuadas nestes últimos dias, com a óbvia intenção de interferir em livre vontade do leitor, nas quais, sem prova alguma, sem, sequer indícios demonstrados, assacaram contra a Presidente da República e um ex-presidente acusações da mais extrema gravidade, além de anunciar um resultado de pesquisa eleitoral contrário ao que todas as outras pesquisas, notadamente, do Data Folha, Ibope e Vox Populi, apresentaram.

PUBLICIDADE

 

 

PUBLICIDADE

 

 

PUBLICIDADE

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email