Banqueiro que lucrou R$ 1 bi com ações da Eletrobras cedeu helicóptero a Temer

A venda da Eletrobras nem começou e muita gente já lucra com as especulações: José João Abdalla Filho, conhecido como Juca Abdalla, dono do Banco Clássico, viu seu patrimônio aumentar em R$ 1 bilhão com a valorização de 50% das ações da estatal com o anúncio do governo em querer privatizar a empresa; nesta quarta, com a queda de 11,8% nas ações, o ganho do banqueiro caiu para cerca de R$ 613 milhões; o fato novo agora, porém, é a relação de Abdalla com Michel Temer; em agosto de 2016, o peemedebista foi a Tietê, interior de São Paulo, em um helicóptero cedido por Antônio Abdalla Filho, primo de Juca Abdalla

A venda da Eletrobras nem começou e muita gente já lucra com as especulações: José João Abdalla Filho, conhecido como Juca Abdalla, dono do Banco Clássico, viu seu patrimônio aumentar em R$ 1 bilhão com a valorização de 50% das ações da estatal com o anúncio do governo em querer privatizar a empresa; nesta quarta, com a queda de 11,8% nas ações, o ganho do banqueiro caiu para cerca de R$ 613 milhões; o fato novo agora, porém, é a relação de Abdalla com Michel Temer; em agosto de 2016, o peemedebista foi a Tietê, interior de São Paulo, em um helicóptero cedido por Antônio Abdalla Filho, primo de Juca Abdalla
A venda da Eletrobras nem começou e muita gente já lucra com as especulações: José João Abdalla Filho, conhecido como Juca Abdalla, dono do Banco Clássico, viu seu patrimônio aumentar em R$ 1 bilhão com a valorização de 50% das ações da estatal com o anúncio do governo em querer privatizar a empresa; nesta quarta, com a queda de 11,8% nas ações, o ganho do banqueiro caiu para cerca de R$ 613 milhões; o fato novo agora, porém, é a relação de Abdalla com Michel Temer; em agosto de 2016, o peemedebista foi a Tietê, interior de São Paulo, em um helicóptero cedido por Antônio Abdalla Filho, primo de Juca Abdalla (Foto: Charles Nisz)

247 - O banqueiro José João Abdalla Filho, conhecido como Juca Abdalla, e que chegou a lucrar R$ 1 bilhão com a valorização das ações da Eletrobras após o anúncio de privatização da estatal pelo governo federal, possui uma relação com Michel Temer.

De acordo com reportagem publicada em junho desse ano pelo jornal Diário Catarinense, trazido à tona pelo blog Tijolaço, “em 6 de março de 2016, Temer foi a Tietê (SP) em um helicóptero do empresário Antônio João Abdalla Filho. Sócio da Citrosuco, maior processadora de suco de laranja do mundo, Abdalla é amigo de Temer e esteve em Brasília para comemorar a posse do peemedebista na Presidência, em maio do ano passado”.

Antônio João Abdalla Filho é primo de Juca Abdalla. Segundo reportagem do Valor desta quinta-feira 24, Juca Abdalla, dono do Banco Clássico, viu seu patrimônio aumentar em R$ 1 bilhão com a valorização de 50% das ações da estatal após o anúncio da privatização. Nesta quarta, com a queda de 11,8% nas ações, o ganho do banqueiro caiu para cerca de R$ 613 milhões.

A assessoria de imprensa de Juca Abdalla entrou em contato com o 247 para esclarecer que:

  1. O Sr. José João Abdalla Filho não é irmão do Sr. Antônio Abdalla Filho, e sim primo (o 247 já fez a correção). 
  2. Ambos não possuem mais nenhum tipo de relacionamento empresarial, e até mesmo familiar, desde 2002, por motivos de interesse pessoais.
  3. O Sr. José João Abdalla Filho não é sócio e não faz parte de nenhum tipo de investimento na empresa Paulicopter Taxi Aéreo, empresa que pertence a Antonio Abdalla Filho, que possivelmente possa ter feito o empréstimo do helicóptero.
 
O Banco Clássico, e sua administradora AB Capital Management, no exterior, preza pela liberdade jornalística, desde que seja clara para ambos os lados. Por isso solicitamos que a matéria passe por uma reedição.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247