Barroso autoriza PF a seguir com inquérito sobre Temer no recesso

O ministro do STF Luís Roberto Barroso, relator do inquérito que investiga Michel Temer no caso dos portos, decidiu que a PF pode manter a apuração em andamento até uma decisão sobre pedido de prorrogação do prazo; segundo Barroso, por causa do recesso do Judiciário, o delegado responsável pelo caso está autorizado a continuar com as investigações

Barroso autoriza PF a seguir com inquérito sobre Temer no recesso
Barroso autoriza PF a seguir com inquérito sobre Temer no recesso (Foto: Esq.: Fellipe Sampaio - STF / Dir.: Marcelo Camargo - ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso, relator do inquérito que investiga Michel Temer no caso dos portos, decidiu nesta sexta-feira (29) que a Polícia Federal pode manter a apuração em andamento até uma decisão sobre pedido de prorrogação do prazo. Sob o argumento de que não conseguiu concluir as investigações, a corporação pediu nesta quinta-feira (28) a prorrogação do prazo, que termina no começo de julho, por mais 60 dias. 

Segundo Barroso, por causa do recesso do Judiciário, que começa na próxima semana e dura todo o mês de julho, o delegado responsável pelo caso está autorizado a continuar com as investigações mesmo sem uma decisão final sobre o pedido de prorrogação.

"Sem prejuízo, considerada a véspera do recesso e o conteúdo da peça em que formulado o pedido, autorizo o Ilmo. Sr. Delegado de Polícia Federal, Dr. Cleyber Malta Lopes, a prosseguir com as diligências de investigação [...] até que venha aos autos a manifestação da Procuradoria-Geral da República", escreveu o ministro.

Barroso estabeleceu ainda que nenhum superior poderá retirar o delegado Cleyber Malta Lopes do caso sem justificativas, como prevê a lei que trata de investigação criminal por delegados.

O inquérito foi aberto no ano passado por causa de depoimentos de executivos do grupo J&F que fecharam acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal. A PF apura se o Decreto dos Portos, editado por Temer em maio de 2017, beneficiou empresas do setor portuário.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247