Barusco diz receber propina desde o governo FHC

Ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco disse em depoimento de delação premiada na Operação Lava Jato que começou a cobrar propina de empresas que pretendiam firmar contratos com a Petrobras em 1997 ou 1998, com a holandesa SBM, quando ocupava o cargo de gerente de Tecnologia de Inslações

www.brasil247.com - Ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco disse em depoimento de delação premiada na Operação Lava Jato que começou a cobrar propina de empresas que pretendiam firmar contratos com a Petrobras em 1997 ou 1998, com a holandesa SBM, quando ocupava o cargo de gerente de Tecnologia de Inslações
Ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco disse em depoimento de delação premiada na Operação Lava Jato que começou a cobrar propina de empresas que pretendiam firmar contratos com a Petrobras em 1997 ou 1998, com a holandesa SBM, quando ocupava o cargo de gerente de Tecnologia de Inslações (Foto: Roberta Namour)


André Richter – Enviado especial da Agência Brasil/EBC - O ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco detalhou em depoimento de delação premiada na Operação Lava Jato como começou a cobrar propina de empresas que pretendiam firmar contratos com a Petrobras. Barusco disse que começou a receber os pagamentos indevidos em 1997 ou 1998 da empresa holandesa SBM, quando ocupava o cargo de gerente de Tecnologia de Inslações.

Aos investigadores, Barusco relatou a sistemátiva da cobrança de propina. Ele disse que tinha relação próxima com Júlio Faerman, representante da SBM, e a iniciativa de fazer os negócios com cobrança de propina partiu de ambas as partes.

Conforme o depoimento, os pagamentos variavam de acordo com o valor do contrato, ficando entre U$ 25 milhões e U$ 50 milhões. Entre as obras que tiveram pagamentos ilegais, o ex-diretor citou um acordo, firmado em 1997 ou 1998, para o fornecimento de um navio para a Transpetro.

As declarações de Barusco foram divulgadas após decisão do juiz federal Sérgio Moro, que retirou o sigilo das investigações da nona fase da Operação Lava Jato, iniciada ontem (5).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A Agência Brasil não conseguiu entrar em contato com os representantes da SBM no Brasil.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email