BC confirma contas de Cunha no exterior

Documentos enviados pelo Banco Central ao Conselho de Ética da Câmara contestam a versão da defesa do deputado, que nega ser dono direto das contas, por estarem em nome de "trusts"; o parecer foi elaborado pela Procuradoria Geral da República e tramita em processo contra Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no Banco Central desde que o Ministério Público da Suíça revelou que o deputado mantinha quatro contas bancárias no exterior, em outubro passado; o país europeu bloqueou R$ 9 milhões de Cunha; o BC afirma que, "para além de toda dúvida razoável", ficou demonstrado que Cunha mantinha recursos no exterior e tinha a obrigação de declará-los às autoridades brasileiras

Documentos enviados pelo Banco Central ao Conselho de Ética da Câmara contestam a versão da defesa do deputado, que nega ser dono direto das contas, por estarem em nome de "trusts"; o parecer foi elaborado pela Procuradoria Geral da República e tramita em processo contra Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no Banco Central desde que o Ministério Público da Suíça revelou que o deputado mantinha quatro contas bancárias no exterior, em outubro passado; o país europeu bloqueou R$ 9 milhões de Cunha; o BC afirma que, "para além de toda dúvida razoável", ficou demonstrado que Cunha mantinha recursos no exterior e tinha a obrigação de declará-los às autoridades brasileiras
Documentos enviados pelo Banco Central ao Conselho de Ética da Câmara contestam a versão da defesa do deputado, que nega ser dono direto das contas, por estarem em nome de "trusts"; o parecer foi elaborado pela Procuradoria Geral da República e tramita em processo contra Eduardo Cunha (PMDB-RJ) no Banco Central desde que o Ministério Público da Suíça revelou que o deputado mantinha quatro contas bancárias no exterior, em outubro passado; o país europeu bloqueou R$ 9 milhões de Cunha; o BC afirma que, "para além de toda dúvida razoável", ficou demonstrado que Cunha mantinha recursos no exterior e tinha a obrigação de declará-los às autoridades brasileiras (Foto: Gisele Federicce)

247 - O Banco Central confirmou ao Conselho de Ética da Câmara que o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), possui contas bancárias no exterior. Os documentos contestam a versão da defesa do deputado, que nega ser dono direto das contas, por estarem em nome de "trusts".

Cunha é alvo de um processo de cassação na Câmara por ter negado ser dono dessas contas durante depoimento na CPI da Petrobras. O parecer da PGR tramita em processo contra Cunha no BC desde que o Ministério Público da Suíça revelou que o deputado mantinha quatro contas bancárias no exterior, em outubro passado.

Autoidades suíças bloquearam, naquele período, R$ 9 milhões de Cunha. Os documentos do Banco Central apontam que, "para além de toda dúvida razoável", ficou demonstrado que Cunha mantinha recursos no exterior e tinha a obrigação de declará-los às autoridades brasileiras.

Os procuradores afirmam ainda que ficou "caracterizada a infração de não fornecimento de informações ao Banco Central do Brasil" entre 31 de dezembro de 2007 e 31 de dezembro de 2014. Leia mais na reportagem da Folha sobre o assunto.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247