Beleza, charme e poder se unem na ministra Gleisi

At que ponto a beleza da nova Chefe da Casa Civil vai ajud-la na misso de tocar a mquina pblica? PSDB j partiu para o ataque, mas, apelidada de 'trator', ela tomou posse nesta quarta-feira

Siga o Brasil 247 no Google News

Rodolfo Borges_247, de Brasília – Gleisi Hoffmann já vinha chamando atenção no Senado. A beleza da senadora do PT rendeu várias menções de colegas da base e da oposição, que chegaram a demonstrar algum constrangimento em situações de embate com a curitibana. “A voz de vossa excelência é delicada, mas o teor...”, dizia o senador Alvaro Dias em abril, durante uma discussão com a colega em Plenário. A suavidade e a polidez de Gleisi podem se transformar em armas poderosa para a presidente Dilma Rousseff, que teve no ex-ministro Antonio Palocci mais um alvo do que um auxiliar em seu início de governo.

A nova ministra-chefe da Casa Civil assume a vaidade. Freqüenta o Hélio Coiffeur, um dos mais badalados cabeleireiros de Brasília, e desfila diariamente um guarda-roupas elegante, mas sem qualquer preferência por grifes. A forma é mantida à base de uma dieta vegetariana e, desde o início do ano, com mais dificuldade, devido ao intenso trabalho de parlamentar, que começa às 6h15 todos os dias. Apesar dos inúmeros afazeres, a ministra faz questão de levar à escola os filhos João Augusto, 9 anos, e Gabriela Sofia, 5.

Sua imagem delicada é bem menos convidativa a ataques do que a da barba cerrada de Palocci, que também carregava o peso de um desgastado passado de atuação política, ao contrário da nova ministra. As qualidade não evitaram, contudo, que o presidente do PSDB, Sérgio Guerra, criticasse a escolha da senadora, que “não tem a experiência, a estatura ou a liderança que Palocci tinha”. Mas os desafios de Gleisi são menos complicados que os de Palocci. Ela foi escolhida como gestora, o que lhe poupa do desgaste político.

Em seu último pronunciamento como senadora, lido em seu tablet, Gleisi dispensou o apelido de “trator”, dado pela oposição, e preferiu o discurso conciliador. “Não considero essa a melhor metáfora para quem exerce a política e sempre se dispôs a debater. A manifestação democrática é o maior instrumento que temos para avançarmos no desenvolvimento do nosso país”, disse. Em aparte, o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) lembrou que classificou Gleisi como “esquentadinha” há algumas semanas, e chamou adjetivo de elogio. “Não ironizei. Disse que você excelência é esquentadinha, como eu também sou. Acho que isso é uma qualidade, não um defeito”, disse.

PUBLICIDADE

Todas essas qualidades elevam Gleisi ao hall de mulheres que se destacaram pela beleza em Brasília. Com um cargo de destaque, a ministra se une à ministra Ellen Grace, que contribuiu para suavizar a imagem da Corte do Supremo Tribunal Federal (STF), e a figuras como e a deputada Manuela D’Ávila (PCdoB-RS), que luta para ser enxergada além da própria beleza, e Rita Camata, que virou candidata a vice-presidente de José Serra para compensar o charme que sempre faltou ao candidato. No tempo de Fernando Henrique Cardoso, o destaque era Solange Vieira, que permaneceu no governo Lula e sempre teve de equacionar a rivalidade entre competência técnica e beleza.

Gleisi abriu seu discurso de despedida citando o poeta Manoel de Barros, que, questionado sobre a palavra mais bonita da língua portuguesa, respondeu “criança”, “que nos faz pensar em início, começo”, acrescentou a nova ministra. Ela lembrou do primeiro dia no plenário, que parece uma data remota, “em razão de tudo o que aprendi no período de convívio com os senadores”. Agradeceu o apoio dos colegas e fez uma deferência aos integrantes da oposição, “adversários duros no debate”. “Mas prevaleceu o debate democrático”, emendou a ministra, que passa a compor com o marido, Paulo Bernardo, ministro das Comunicações, o casal mais poderoso da República. Bernardo, que era o nome mais forte para assumir a Casa Civil, foi preterido por Dilma, mas não se pode dizer que não seja um homem de sorte.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email