Bia Kicis incentiva motim da PM da Bahia contra o governador Rui Costa

Da ala mais radical do bolsonarismo, a presidente da CCJ, Bia Kicis, incitou um golpe da PM contra o governador da Bahia, Rui Costa (PT), ao defender um soldado que, durante um surto, invadiu o Farol da Barra (Salvador) e disparou para o alto. Segundo a bolsonarista, o "soldado é um herói”. Ele foi atingido por outros PMs durante operação para contê-lo, quando atirou contra seus colegas, e morreu no fim da noite deste domingo

Soldado em surto no Farol da Barra neste domingo
Soldado em surto no Farol da Barra neste domingo (Foto: Reprodução/Redes Sociais)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - A deputada federal Bia Kicis, que preside a Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, incitou a rebelião e um golpe da Polícia Militar contra o governador da Bahia, Rui Costa (PT). Ela tentou transformar em herói o soldado que, durante um surto neste domingo (28), invadiu o Farol da Barra, um dos principais pontos turísticos de Salvador, e fez vários disparos para o alto, ameaçando e colocando em risco a vida de pessoas que transitavam no local (veja tuíte abaixo). O soldado foi  atingido por outros PMs durante a operação para contê-lo, depois de atirar contra os colegas, e morreu no fim da noite.

O policial teve a morte confirmada pela Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA). Ele estava internado no Hospital Geral do Estado (HGE) após ser baleado por policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) no início da noite. A morte foi confirmada às 22h41.

O PM foi atingido em pelo menos três regiões do corpo, incluído tórax e abdômen. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP), às 18h35, o soldado afirmou que “havia chegado o momento, fez uma contagem regressiva e iniciou disparos contra as equipes do Bope”. Os policiais, então, dispararam dez vezes contra Weslei. “No momento que caiu ao chão ele iniciou uma série de disparos contra os policiais, que novamente tiveram a necessidade de realizar disparos, e, quando ele cessou a agressão, os policiais chegaram perto para utilizar o resgate”, declarou Capitão Luiz Henrique, o negociador.

PUBLICIDADE

O comandante do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), major Clédson Conceição, afirmou que os policiais buscaram utilizar técnicas de negociação e impedir um confronto, mas que Weslei “atacou as equipes”. “Além de colocar em risco os militares, estávamos em uma área residencial, expondo também os moradores", justificou. Conceição disse que tentaram fazer com que Weslei se estregasse, mas que “essa negociação alternava em picos de lucidez com loucura. Ele não falava coisas com sentido, estava bastante transtornado”.

Repórteres e cinegrafistas que estavam no local foram ameaçados por policiais, após Weslei ser baleado. Eles disparam para cima, para dispersar a imprensa - o momento foi capturado num vídeo. A PM não se manifestou a respeito até o fechamento da reportagem. Moradores do bairro acompanharam a ação e divulgaram vídeos da chegada do PM Weslei até ele ser baleado e socorrido pelo SAMU até o HGE.

O soldado Weslei era integrante da 72ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), de Itacaré, no sul da Bahia, e chegou à capital baiana na manhã deste domingo. Os primeiros disparos de fuzil de Weslei aconteceram na Avenida Centenário, próximo ao 5º Centro de Saúde Clementino Fraga, relataram testemunhas. A perseguição policial teve início no local até chegar ao Farol da Barra, por volta das 14h. Lá, Wesley desceu do próprio carro com um fuzil à mão. Pouco depois, começou a efetuar os disparos. Não há registro de outros feridos.  Segundo a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), ele teve um “surto psicológico”.

PUBLICIDADE

Bia Kicis

Acostumada em disparar fake news em suas redes, Bia transformou o agente, chamado Wesley Soares, que pertence à 72º Companhia Independente de Polícia Militar de Itacaré, num herói, omitindo fato de que a Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA) informou que o soldado apresentou um surto psicológico.

Com o rosto pintado de verde e amarelo, enquanto efetuava os disparos, Wesley gritava: "Eu, não vou deixar, não vou permitir, que violem a dignidade humana do trabalhador!". 

Bia usou sua frase para construir um contexto falso de que o agente lutava contra o lockdown estabelecido pelo governo baiano. “Morreu porque se recusou a prender trabalhadores. Disse não às ordens ilegais do governador Rui Costa da Bahia”.

PUBLICIDADE

Veja o tuítde da deputada de extrema-direita presidente da CCJ:

A ação de Kicis parece ser parte de uma articulação mais ampla da extrema-direita. Na tarde deste domingo circulava intensamente em grupos de Whatsapp da PM da Bahia e da extrema-direita uma nota de incentivo à insubordinação da tropa contra o governador Rui Costa assinada por um “coronel Almeida” não identificado. Não se sabe se a nota é mesmo de um membro da PM baiana. Leia:

“NOTA PÚBLICA:

PUBLICIDADE

Atenção amigos policiais e demais colegas das forças de segurança:

Como todos sabem, hoje um membro de nossa corporação foi covardemente abatido por nossos próprios colegas. 

Não sabemos ainda se ele vai sobreviver mas, pelas últimas informações, tudo indica que sim.

Sabemos que a situação poderia ter sido evitada, não fosse o clima de tensão ao qual nós estamos sendo submetidos a cada dia, cumprindo ordens ilegais, a mando do governador.

A partir de hoje, vamos nos recolher. Não vamos mais cumprir ordens absurdas. Já chega!

Ninguém mais vai cumprir ordens do governador tirano, Rui Costa, que está nos colocando contra a população de bem. 

O povo, com razão, está tomando ódio da polícia e das demais forças de segurança.

O nosso papel é combater o crime e não impedir o trabalho honesto de quem paga os nossos salários.

A culpa do que aconteceu hoje é do governador, mas também nossa, na medida em que não nos insurgimos contra o cumprimento de ordens ilegais.

Por tudo que está acontecendo, já havia um amplo sentimento de revolta na maioria da tropa, mas agora a situação chegou no limite. Em assembleia, nesta noite de domingo, decidimos que qualquer policial ou membro de outras forças de segurança que estiveram na ruas, fardados ou não, cumprindo ordens ilegais, a mando do governador, como exemplo, fechando comércio de cidadãos comuns, será alvejado pelos colegas. 

Repassem para todos policiais e coletadas das demais forças de segurança da Bahia. 

Coronel Almeida. 

28 de março de 2021”

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email