Bilionário agressor está proibido de se aproximar de Luiza Brunet

Determinação contra o empresário Lírio Albino Parisotto, de 62 anos, é do Ministério Público de São Paulo; a atriz e ex-modelo denunciou ter sido agredida pelo companheiro, que a deixou com quatro costelas quebradas, no último dia 21 de maio em Nova York

Determinação contra o empresário Lírio Albino Parisotto, de 62 anos, é do Ministério Público de São Paulo; a atriz e ex-modelo denunciou ter sido agredida pelo companheiro, que a deixou com quatro costelas quebradas, no último dia 21 de maio em Nova York
Determinação contra o empresário Lírio Albino Parisotto, de 62 anos, é do Ministério Público de São Paulo; a atriz e ex-modelo denunciou ter sido agredida pelo companheiro, que a deixou com quatro costelas quebradas, no último dia 21 de maio em Nova York (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP 247 – O Ministério Público de São Paulo determinou que o empresário Lírio Albino Parisotto, de 62 anos, está proibido de se aproximar e de manter contato com a ex-mulher, Luiza Brunet, de 54 anos.

A atriz e ex-modelo denunciou ter sido agredida pelo companheiro, que a deixou com quatro costelas quebradas, conforme seu relato. O episódio ocorreu no último dia 21 de maio no apartamento dele em Nova York, onde ele deu um soco e vários chutes em Luiza.

A queixa por agressão doméstica foi registrada no Grupo de Atuação Especial de Enfrentamento à Violência Doméstica (GEVID) no dia 23 de junho. Ela se separou do empresário depois da agressão.

O episódio foi divulgado nesta sexta-feira na coluna de Ancelmo Gois, do jornal O Globo. "Eu sempre tive uma família estruturada e sempre fui discreta em minha vida pessoal. É doloroso aos 54 anos ter que me expor dessa maneira. Mas eu criei coragem, perdi o medo e a vergonha por causa da situação que nós, mulheres, vivemos no Brasil", declarou (leia mais).

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247