Bolsonaristas usam tentativa de ataque hacker ao TSE para espalhar fake news de 'fraude' nas eleições

Apesar de terem sido eleitos pelas urnas eletrônicas, bolsonaristas usam ataque de hackers contra o TSE para espalhar tese trumpista de fraude nas eleições

Bolsonaro aprendeu fake news com a mídia brasileira
Bolsonaro aprendeu fake news com a mídia brasileira (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Seguindo a cartilha de Donald Trump, de insuflar a tese factoide de que há fraude no sistema eleitoral, sem apresentar provas, os aliados bolsonarista usaram uma declaração do presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, de que houve uma tentativa de ataque hacker para derrubar servidores que foi neutralizada por técnicos do tribunal e das telefônicas, para lançar dúvidas sobre o processo eleitoral no país.

Mensagens de apoiadores de Jair Bolsonaro foram compartilhadas nas redes sociais com informações falsas sobre tentativas de fraude no primeiro turno das eleições municipais.

Entre as fake news está a de que dados de eleitores que justificaram a ausência no pleito poderiam se transformar em votos válidos para candidatos de esquerda. A tese foi levantada pelo blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio, que já foi preso pela Polícia Federal no inquérito que apura as realização de manifestações antidemocráticas no Brasil.

'URGENTE: A invasão hacker do TSE revela a fraude nas urnas com a chancela da justiça eleitoral. A @crisbrasilreal descobriu que os votos válidos e os de quem justifica estão em banco de dados diferentes. Eles podem descarregar os votos de quem vai justificar na esquerda. ASCOM OE', escreveu em seu Twitter.

O filho de Jair Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro, endossou a tese apesar do seu pai e o próprio parlamentar terem sido eleitos pelas urnas eletrônicas.

"PARA REFLETIR Noticiam que TSE foi atacado por hackers. TSE nega. Então são expostos bancos de dados do TSE.  Isso traz um clima de insegurança, que faz as pessoas desconfiarem que o atraso na divulgação possa ser um novo ataque hacker ou manipulação já que não há transparência", escreveu.

A deputado Carla Zambelli (PSL-SP) seguiu o roteiro. "Agora mais do que nunca temos que voltar a falar em #VotoImpresso como forma de conferir a votação eletrônica. Ninguém me convence que o sistema trave dessa forma sem fraude envolvida. Posso estar errada, por isso quero poder conferir os votos da minha urna", disse.

A deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) também ironizou em sua conta a segurança das, usando a tentativa de ataque ao TSE. 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247