Bolsonaro agora quer manter Acordo de Paris e nega guerra com Maduro

O presidenciável Jair Bolsonaro começa a voltar atrás em quase todas as bravatas que foi produzindo ao longo da campanha; o gesto é sintoma de que a queda eleitoral forte bateu nos pilares da campanha e de que a ferramenta dos "disparos em massa de fake news" foi drasticamente reduzida, com a punição do WhatsApp; o mais recente refugo retórico do ex-militar foi dizer que pretende manter o Brasil no Acordo de Paris e que não pretende declarar guerra à Venezuela

Bolsonaro agora quer manter Acordo de Paris e nega guerra com Maduro
Bolsonaro agora quer manter Acordo de Paris e nega guerra com Maduro (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidenciável Jair Bolsonaro começa a voltar atrás em quase todas as bravatas que foi produzindo ao longo da campanha. O gesto é sintoma de que a queda eleitoral forte bateu nos pilares da campanha e de que a ferramenta dos "disparos em massa de fake news" foi drasticamente reduzida, com a punição do WhatsApp. O mais recente refugo retórico do ex-militar foi dizer que pretende manter o Brasil no Acordo de Paris e que não pretende declarar guerra à Venezuela. 

A reportagem do jornal Valor destaca a fala do candidato: "está bastante avançado na ONU as grandes reservas indígenas serem transformadas em outros territórios lá na frente, levando-se em conta a autodeterminação dos povos indígenas. Nós vamos colocar no papel que não está em jogo nem o Triplo A nem a independência de nenhuma terra indígena, que eu mantenho o acordo de Paris".

Sobre a Venezuela, ele disse: "ninguém quer fazer guerra com ninguém, não". E acrescentou: "a Venezuela é uma coisa que não podíamos deixar chegar onde chegou".

 

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247