Bolsonaro anuncia corte de patrocínio da Petrobrás à cultura

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou que pretende cortar as verbas de incentivo à cultura concedidas pela Petrobras, que é a principal empresa a conceder fomento á cultura; em postagem nas redes sociais, ele diz que reconhece o valor da cultura e a necessidade de incentivá-la, mas diz que "isso não deve estar a cargo de uma petrolífera estatal"

Bolsonaro anuncia corte de patrocínio da Petrobrás à cultura
Bolsonaro anuncia corte de patrocínio da Petrobrás à cultura

247 - Por meio das redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciou que pretende cortar as verbas de incentivo à cultura concedidas pela Petrobras, que é a principal empresa a conceder fomento, promovendo a produção nacional de filmes, espetáculos teatrais e outras atividades culturais.

Na postagem, Bolsonaro diz que reconhece o valor da cultura e a necessidade de incentivá-la, mas diz que "isso não deve estar a cargo de uma petrolífera estatal".

"A soma dos patrocínios dos últimos anos passa de R$ 3 bilhões. Determinei a reavaliação dos contratos. O Estado tem maiores prioridades", disse.

Sem apresentar nenhuma justificativa sobre qual é o prejuízo para as contas públicas por conta da política de fomento à cultura promovidos pela Petrobras, o presidente afirma ainda que os "incentivos devem ser direcionados de forma justa, enxuta, transparente e responsável, mas jamais em detrimento das principais demandas de nossa sociedade".

A Petrobras, por sua vez, não especificou como serão as mudanças e informou apenas, por meio de assessoria, que "está revisando sua política de patrocínios e seu planejamento de publicidade, em alinhamento ao novo posicionamento de marca da empresa". A estatal afirmou, ainda, que o foco dos novos contratos será em "ciência, tecnologia e educação, principalmente infantil" e, quanto aos contratos atualmente em vigor, garantiu que "estão com seus desembolsos em dia".

Ao que tudo indica, a media é uma retaliação a classe artística e a parte da imprensa, por conta das críticas feitas ao governo Bolsonaro.

Em 2018, a Petrobras investiu em cultura e imprensa pela marca quase R$ 160 milhões. Hoje, a estatal tem contratos ativos que somam R$ 3,5 bilhões. O corte pode afetar contratos como os da companhia de teatro Galpão, de Minas Gerais, da Companhia de Dança Deborah Colker, do Rio de Janeiro, e do Festival de Cinema do Rio. A Mostra Internacional de Cinema de São Paulo também recebe, atualmente, patrocínio da estatal.

 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247