Bolsonaro ataca a China, cancela acordo feito por Pazuello e diz que não comprará vacina chinesa

No mais duro ataque à China, maior parceira comercial do Brasil, e na maior prova de submissão aos interesses de Donald Trump, Jair Bolsonaro cancelou o acordo firmado pelo Ministério da Saúde para a compra de 46 milhões de doses da CoronaVac. “Alerto que não compraremos vacina da China"

Bolsonaro, Coronavac e Pazuello
Bolsonaro, Coronavac e Pazuello (Foto: PR | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - Jair Bolsonaro cancelou o acordo firmado pelo Ministério da Saúde para a compra de 46 milhões de doses da CoronaVac, a vacina contra o coronavírus desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo. O acordo previa a edição de medida provisória para disponibilizar crédito de R$ 1,9 bilhão para a compra das vacinas.

“Alerto que não compraremos vacina da China. Bem como meu governo não mantém diálogo com João Doria sobre covid 19", afirmou Bolsonaro a ministros, de acordo com reportagem do Poder360.

Com a decisão, o governo desautoriza o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que assinou o protocolo para a aquisição das doses nesta terça-feira (20). 

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email