Bolsonaro corta recursos de área social e Educação

Para ajudar no corte de R$ 2,25 bilhões em despesas, o governo Jair Bolsonaro decidiu reduzir os limites de gastos da área social; responsável por políticas sociais como o Bolsa-Família e o Benefício de Prestação Continuada (BPC), o Ministério da Cidadania teve uma redução de R$ 619 milhões

(Foto: ADRIANO MACHADO - REUTERS)

247 - Para ajudar no corte de R$ 2,25 bilhões em despesas, o governo Jair Bolsonaro decidiu reduzir os limites de gastos da área social, que já sofre com o congelamento de investimentos públicos por causa da PEC do Teto dos Gastos, aprovada no governo Michel Temer, apoiado pelo atual presidente - na época, deputado federal. Os dados foram divulgaods no jornal Valor Econômico.

Entre os ministérios, o mais afetado foi a pasta da Cidadania, que teve uma redução de R$ 619 milhões. A pasta é responsável por políticas sociais como o Bolsa-Família e o Benefício de Prestação Continuada (BPC). O Ministério da Educação também sofreu corte, de R$ 348 milhões. A pasta já havia perdido R$ 5,8 bilhões nos dois primeiros decretos do ano. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247