Bolsonaro desonra a presidência e diz que não vai cumprimentar Alberto Fernández

Jair Bolsonaro dá mais uma demonstração de despreparo para o exercício da Presidência da República, de desapego à democracia e às normas diplomáticas de convivência entre as nações. Disse que não vai cumprimentar o presidente eleito da Argentina em primeiro turno e que o Itamaraty tampouco vai se pronunciar

(Foto: ADRIANO MACHADO - REUTERS)

247 - Nesta segunda-feira (28), Jair Bolsonaro disse que não vai cumprimentar o presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, vencedor em primeiro turno nas eleições deste domingo no país vizinho.  

O pronunciamento das urnas foi contundente, marcando uma jornada democrática que assinala uma virada no quadro político argentino. Com 96,22% das urnas apuradas na noite de domingo, a Chapa Fernández-Cristina havia conquistado 48,03% dos votos contra 40,44% do atual presidente, Maurício Macri.   

Ao declarar que não vai cumprimentar o presidente eleito, Bolsonaro quer desconhecer essa realidade.   

"Não pretendo parabenizá-lo. Agora não vamos nos indispor. Vamos esperar o tempo para ver qual a posição real dele na política. Porque ele vai assumir, vai tomar pé do que está acontecendo, e vamos ver qual linha que ele vai adotar."  

A declaração foi feita na partida dos Emirados Árabes Unidos, onde Bolsonaro esteve desde sábado (26) - informa a jornalista Ana Estela de Sousa Pinto da Folha de S.Paulo.  

Bolsonaro disse lamentar o resultado das eleições, relata a jornalista. "Lamento. Não tenho bola de cristal, mas acho que a Argentina escolheu mal. O primeiro ato do Fernández foi já Lula livre, dizendo que ele está preso injustamente. Já disse a que veio."  

Também não há, no momento, expectativa de manifestação do Itamaraty, segundo Bolsonaro.

Brasil 247 lança concurso de contos sobre a quarentena do coronavírus. Participe do concurso

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247