Bolsonaro e aliados divulgaram e incentivaram motim no Espírito Santo

Um grupo ligado ao deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), pré-candidato ao Planalto, esteve na linha de frente da comunicação e da logística do motim que parou a Polícia Militar do Espírito Santo, segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo

Um grupo ligado ao deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), pré-candidato ao Planalto, esteve na linha de frente da comunicação e da logística do motim que parou a Polícia Militar do Espírito Santo, segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo
Um grupo ligado ao deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), pré-candidato ao Planalto, esteve na linha de frente da comunicação e da logística do motim que parou a Polícia Militar do Espírito Santo, segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo (Foto: Gisele Federicce)

247 - Um grupo ligado ao deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), pré-candidato ao Planalto, esteve na linha de frente da comunicação e da logística do motim que parou a Polícia Militar do Espírito Santo, segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo.

Levantamento feito pelo jornal em conjunto com uma equipe de especialistas em redes sociais concluiu que, entre os nomes que constam da rede de apoio estão o ex-deputado federal Capitão Assumção e o deputado federal Carlos Manato (SD-ES), aliados de Bolsonaro no Estado.

A origem do movimento, que durou dez dias em fevereiro e resultou em 181 homicídios na Grande Vitória e em cidades do interior, está sendo investigado pela Polícia Federal. A paralisação dos PMs é considerada ilegal. Mais de mil agentes estão sendo processados.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247