Bolsonaro e filho votaram contra lei que protege deficientes

Presidenciável Jair Bolsonaro e seu filho Eduardo Bolsonaro, ambos do PSL, votaram contra a Lei Brasileira de Inclusão (LBI), aprovada em 2015 no Congresso depois de 12 anos de tramitação no Congresso Nacional

Bolsonaro e filho votaram contra lei que protege deficientes
Bolsonaro e filho votaram contra lei que protege deficientes (Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Revista Forum - Segundo o Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), realizado em 2016, quase 24% da população do país é composta por pessoas com possuem algum tipo de deficiência. Portanto, o número chega a 45 milhões de pessoas. Para contemplar este segmento da sociedade foi votado e aprovado na Câmara e no Senado, em 2015, a Lei Brasileira de Inclusão (LBI), depois de 12 anos de tramitação no Congresso Nacional.

No entanto, se dependesse dos deputados Jair Bolsonaro e seu filho Eduardo Bolsonaro, essa legislação que beneficiou 45 milhões de brasileiros não seria aprovada, pois ambos votaram “Não”, ou seja, contra sua aprovação. O hoje presidenciável, à época, era do PP e seu filho atuava pelo PSC.

Leia a íntegra do Revista Forum

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247