Descontrolado, Bolsonaro faz ataque violento a Barroso e diz que ele fez "politicalha" ao mandar abrir CPI

Jair Bolsonaro atacou o ministro do STF Luís Roberto Barroso, que determinou que o Senado instale a CPI da Pandemia. "Vivemos um momento crítico de pandemia, pessoas morrem, e o ministro do Supremo Tribunal Federal faz politicalha junto ao Senado Federal”, disse

(Foto: NELSON JR./SCO/STF | Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro fez um ataque violento ao  ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso na manhã desta sexta-feira (9). Disse que Barroso fez “politicalha", teve como objetivo atacar seu governo e praticou “ativismo judicial” ao determinar que o Senado instale a CPI da Pandemia, para apurar eventuais crimes e omissões do governo federal no enfrentamento à pandemia de Covid-19. Para reforçar a contundência do ataque, Bolsonaro postou o vídeo com seu curto discurso em seu Twitter:

“Pelo que me parece, falta coragem moral para o Barroso e sobra ativismo judicial. Não é disso que o Brasil precisa. Vivemos um momento crítico de pandemia, pessoas morrem, e o ministro do Supremo Tribunal Federal faz politicalha junto ao Senado Federal”, disse Bolsonaro durante encontro com apoiadores no Palácio do Planalto, de acordo com o jornal O Globo

Bolsonaro também criticou a abertura da CPI, por não investigar também governadores e prefeitos. Ainda segundo ele, Barroso teria feito uma "jogadinha casada" com os senadores da oposição para "desgastar o governo”. 

“A CPI não é para apurar desvio de recursos de governadores. É para apurar, segundo está lá na ementa do pedido de CPI, omissões do governo federal. Ou seja, uma jogadinha casada, Barroso (e) bancada de esquerda do Senado para desgastar o governo. Eles não querem saber o que aconteceu com os bilhões desviados por alguns governadores e alguns poucos prefeitos também”, disse.

A decisão de Barroso determinando que o Senado instale a CPI foi tomada de forma monocrática nesta quinta-feira (8). Antes, o ministro realizou uma consulta informal aos demais membros da Corte sobre o assunto. Eles teria citado a jurisprudência do STF sobre o assunto e avalizado o posicionamento de Barroso. 

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email