Bolsonaro inverte tudo e acusa governadores de "afrontar o estado democrático de direito"

Jair Bolsonaro retaliou os governadores que se levantaram contra o decreto dele, criticado por todos os especialistas, de tornar salões de beleza e academias em atividades essenciais, e acusou-os no início da tarde desta terça-feira (12) de "afrontar o estado democrático de direito"

Presidente Jair Bolsonaro em Brasília 08/05/2020
Presidente Jair Bolsonaro em Brasília 08/05/2020 (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro usou suas redes sociais para retaliar os governadores que se levantaram contra o decreto dele, criticado por todos os especialistas, de tornar salões de beleza e academias em atividades essenciais, e acusou-os no início da tarde desta terça-feira (12) de "afrontar o estado democrático de direito"

Na postagem, Bolsonaro disse que “os governadores que não concordarem com o decreto podem ajuizar ações na Justiça ou, via congressista, entrar com Projeto de Decreto Legislativo”. 

No entanto, ele enfatizou  que a ação “aflora o indesejável autoritarismo”. 

Ele ainda acrescentou que o decreto de atividades essenciais tem como objetivo é atender “milhares de profissionais, em sua maioria humildes”. 

Governadores dos Estados de São Paulo, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Ceará, Rio de Janeiro, Pará e o prefeito de Manaus salientaram que não irão acatar a decisão de Bolsonaro. 

O decreto de Bolsonaro foi publicado no Diário Oficial da União no momento em que o ministro da Saúde, Nelson Teich, dava entrevista coletiva no Planalto, nesta segunda-feira (11). 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247