Bolsonaro lista projetos prioritários para o Congresso: reformas, privatização da Eletrobras e mineração em terras indígenas

Jair Bolsonaro entregou nesta quarta-feira (3) aos presidentes da Câmara e do Senado, Arthur Lira e Rodrigo Pacheco, a lista de projetos prioritários para 2021. Área social não entrou em prioridades

(Foto: Marcos Corrêa/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro entregou nesta quarta-feira (3) uma lista com os projetos prioritários para seu governo, durante reunião com os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM). 

Entre os projetos definidos por Bolsonaro para este ano estão a reforma tributária, que tramita separadamente nas duas Casas; a reforma administrativa, além das PECs Emergencial, dos Fundos e a do Pacto Federativo. Bolsonaro também estabeleceu como prioridade a privatização da Eletrobrás. 

O governo federal também pretende aprovar o projeto que regulamenta a mineração em terras indígenas, que é defendido pelo vice-presidente Hamilton Mourão. Bolsonaro busca ainda a aprovação de projetos de lei referentes à partilha do petróleo e gás.

Armas e lei antidrogas

Bolsonaro quer a apreciação da PL nº 3.723/2019, que altera a lei que regulamenta o registro, a posse e comercialização de armas de fogo e munição.

Também é expectativa do governo federal que Pacheco priorize a apreciação da PLS nº 216, de 2017. A matéria propõe a tipificação da conduta de corromper menores para prática de delitos relacionados ao tráfico de drogas.

Parlamentares da oposição criticaram as prioridades estabelecidas pelo governo. O deputado Marcelo Freixo (PSOL) notou ausência de projetos de enfrentamento à pandemia e auxílio emergencial à população sem emprego. 

"Bolsonaro acaba de entregar a Lira a lista dos seus projetos prioritários: excludente de ilicitude, liberação ainda maior de armas e munições... Nada sobre vacina, nada sobre o auxílio emergencial. O presidente quer que os brasileiros continuem morrendo de bala, fome ou covid", disse Freixo pelo Twitter

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email