Bolsonaro pergunta a apoiadores se deveria indicar Moro ao STF e ouve: "não, é um traíra"

Bolsonaro indagou aos apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada: “Que tal eu indicar o Sergio Moro para o Supremo?”. “Não!”, gritaram em coro e alguns emendaram: “É um traíra”.

Jair Bolsonaro e Sergio Moro
Jair Bolsonaro e Sergio Moro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Depois de Sérgio Moro usar as redes sociais para colocar em dúvida se a ida de Kassio Nunes ao STF necessariamente implicará no combate à corrupção e apagar a postagem, Jair Bolsonaro cutucou o ex-ministro em conversa com apoiadores nesta sexta-feira (2).

Ao reclamar do que classificou como má repercussão do nome de Kassio Marques em parte da militância bolsonarista, Bolsonaro indagou aos apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada: “Que tal eu indicar o Sergio Moro para o Supremo?”. “Não!”, gritaram em coro e alguns emendaram: “É um traíra”.

“Ah, mas pera aí, calma", interrompeu Bolsonaro. "Se não tivesse pedido demissão… Estaria comigo até hoje, e muitos de vocês falando: ‘É o Sergio Moro pro Supremo ou não tem reeleição”, disse.

E acrescentou: “Ou vocês confiam em mim ou não confiam, está certo? Eu não tenho cabeça dura, não. Eu volto atrás em decisões minhas, mas essa decisão é crucial pra mim”.

Bolsonaro disse que que está "chateado" com parte do eleitorado que ”virou as costas” para ele após a indicação do nome de Marques para a vaga de Celso de Mello no Supremo.

Sem citar o nome de Silas Malafaia, Bolsonaro mencionou as críticas levantadas pela própria militância bolsonarista, que reagiu negativamente ao nome do indicado para o STF. “Eu escolhi ele para o Supremo e está mantido, a não ser que tenha um fato novo gravíssimo contra ele. Pelo que tudo indica, não tem, ele vai pro Supremo. Agora, é uma covardia o que estão fazendo com ele”, reclamou.

Segundo ele, uma “autoridade do Rio de Janeiro” está caluniando o desembargador. “Uma decisão dessa, mesmo que seja do Kassio, é motivo pra você falar: ‘Ah, esse cara não serve pra ter uma ascensão na sua vida de jurista?’ Que negócio é esse, pô? Quer me criticar, que critique, agora ir para a calúnia, igual esse cara do Rio de Janeiro está fazendo, caluniando o cara”, disse Bolsonaro, afirmando que era alguém que ele admirava, tem feito vários vídeos e que é uma pessoa que “diz ter Deus no coração”.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247