Bolsonaro pode trocar comando do exército para tentar nomear Ramagem e dar golpe de Estado

Objetivo de Jair Bolsonaro é se proteger de investigações na PF e também seus filhos, envolvidos em esquemas como as fake news e as rachadinhas

General Edson Pujol, comandante do Exército
General Edson Pujol, comandante do Exército (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro sinalizou que vai confrontar a decisão do Supremo Tribunal Federal, que barrou indicação de Alexandre Ramagem para o comando da Política Federal. O ocupante do Palácio do Planalto cogita  tomar duas medidas que vão intensificar e agravar a crise política e institucional.

A participação de Bolsonaro em um ato contra a democracia neste domingo evidenciou a gravidade da situação. 

A primeira medida que está sendo estudada por Bolsonaro é fazer uma nova nomeação do delegado Alexandre Ramagem para o cargo de diretor-geral da Polícia Federal. A segunda é remover do Comando do Exército o general Edson Leal Pujol, informa a Folha de S.Paulo.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247