Bolsonaro propõe tirar R$ 1,4 bilhão da Educação para beneficiar obras

Jair Bolsonaro quer fazer um corte bilionário no MEC, como mostra sua proposta de remanejamento de R$ 6,118 bilhões enviada ao Congresso nesta quinta. O Ministério do Desenvolvimento Regional deve receber R$ 2,3 bilhões e o da Infraestrutura, R$ 1,06 bilhão, as maiores fatias

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: Isac Nóbrega/PR | SECOM)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro propôs ao Congresso Nacional um corte de R$ 1,4 bilhão no orçamento do Ministério da Educação com o objetivo de aplicar o dinheiro em obras e em outras ações apoiadas por parlamentares. O MEC recebeu a maior tesourada na proposta de remanejamento de R$ 6,118 bilhões, formalizada nessa quinta-feira (1) ao Legislativo, que precisa aprovar a medida. De olho em 2022, Bolsonaro tem pressa para a execução do Plano Pró-Brasil de investimentos.

O Ministério do Desenvolvimento Regional deve receber R$ 2,3 bilhões. O da Infraestrutura ficará com R$ 1,06 bilhão, as maiores fatias. O restante será dividido entre Saúde, Minas e Energia e Agricultura. Parlamentares também cobraram maior espaço no Orçamento e ganharam poder para indicar mais de R$ 3 bilhões do crédito, de acordo com reportagem publicada pelo jornal o Estado de S.Paulo.

O corte inicial no MEC seria maior, de R$ 1,57 bilhão. O Ministério da Defesa, que reclamou do possível corte de R$ 430 milhões, perdeu menos R$ 330 milhões. A pasta da Cidadania também reduziu a perda de dinheiro - tesourada de R$ 487 milhões para R$ 385,2 milhões. 

Outros ministérios que perderam dinheiro foram Economia (R$ 615,6 milhões), Justiça (R$ 300 milhões), Turismo (R$ 148,7 milhões) e Presidência (R$ 9 9 milhões).

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247