Bolsonaro se aproxima de corrupto do mensalão

Abrigado em um partido nanico, Jair Bolsonaro (PSL) "aceitou jogar com as cartas da política tradicional", "O líder da corrida ao Planalto intensificou seus contatos com o PR do ex-deputado Valdemar Costa Neto em busca de musculatura partidária e tempo de TV para tornar sua candidatura mais competitiva; chefão do PR foi condenado no mensalão por receber dinheiro para apoiar o governo Lula", diz o colunista Bruno Boghossian

Abrigado em um partido nanico, Jair Bolsonaro (PSL) "aceitou jogar com as cartas da política tradicional", "O líder da corrida ao Planalto intensificou seus contatos com o PR do ex-deputado Valdemar Costa Neto em busca de musculatura partidária e tempo de TV para tornar sua candidatura mais competitiva; chefão do PR foi condenado no mensalão por receber dinheiro para apoiar o governo Lula", diz o colunista Bruno Boghossian
Abrigado em um partido nanico, Jair Bolsonaro (PSL) "aceitou jogar com as cartas da política tradicional", "O líder da corrida ao Planalto intensificou seus contatos com o PR do ex-deputado Valdemar Costa Neto em busca de musculatura partidária e tempo de TV para tornar sua candidatura mais competitiva; chefão do PR foi condenado no mensalão por receber dinheiro para apoiar o governo Lula", diz o colunista Bruno Boghossian (Foto: Paulo Emílio)

247 - "Abrigado em um partido nanico, Jair Bolsonaro (PSL) aceitou jogar com as cartas da política tradicional" escreve o colunista Bruno Boghossian, na Folha. "O líder da corrida ao Planalto intensificou seus contatos com o PR do ex-deputado Valdemar Costa Neto em busca de musculatura partidária e tempo de TV para tornar sua candidatura mais competitiva; chefão do PR foi condenado no mensalão por receber dinheiro para apoiar o governo Lula".

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247