Bolsonaro se nega a fazer reunião com Raoni, um dos maiores líderes indígenas do País

"Você aceita se reunir comigo e com o Raoni [Metuktire, líder indígena]?", perguntou o presidente francês, Emmanuel Macron, a Jair Bolsonaro, que respondeu: "não"; segundo o presidente brasileiro, Raoni, que é reconhecido internacionalmente por sua luta em defesa dos povos indígenas e da Amazônia, "não representa o Brasil"

Raoni Macron e Bolsonaro
Raoni Macron e Bolsonaro

247 - De acordo com uma fonte do Palácio do Planalto, o encontro informal do presidente Jair Bolsonaro com Emmanuel Macron, da França, durante o G20, foi tenso e o brasileiro recusou se reunir com o político francês na presença do líder indígena Raoni Metuktire.

"Você aceita se reunir comigo e com o Raoni [Metuktire, líder indígena]?", perguntou Macron a Bolsonaro. "Não", respondeu, dizendo que Raoni "não representa o Brasil e sequer representa a comunidade indígena de onde veio". A informação é da jornalista Cristiana Lôbo, do G1.

O cacique de 87 anos é líder da etnia kayapó e é reconhecido mundialmente pela sua luta pela preservação dos povos indígenas e da Amazônia. Raoni se reuniu com Macron e com o Papa Francisco para denunciar o desmatamento da Amazônia e pediu apoio a luta para proteger o Parque Nacional Indígena do Xingu – reserva onde vivem vários povos indígenas – de madeireiros e do agronegócio.

Bolsonaro disse a Macron que o Brasil vai honrar o Acordo de Paris, ponto crucial para o acordo entre a União Europeia e o Mercosul. Ele ainda convidou Macron a sobrevoar a Amazônia, de Boa Vista a Manaus, cerca de uma hora e meia de voo e garantiu que não vai "encontrar qualquer ponto de desmatamento".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247