Bolsonaro vive alucinado nas trevas, afirma autor do impeachment de Dilma

Para Reale Júnior, um dos autores do pedido de impeachment de Dilma Rousseff , o governo Bolsonaro vem atacando "todas as classes que representam uma capacidade crítica"; o jurista chama isto de "fascismo cultural"

Miguel Reale Júnior
Miguel Reale Júnior (Foto: Zeca Ribeiro / Câmara dos Deputados)

247 - Um dos autores do pedido de impeachment de Dilma Rousseff (PT), o jurista Miguel Reale Júnior não se arrepende da iniciativa que resultou no afastamento da ex-presidente, mas reconhece que os desdobramentos políticos dos últimos anos não tiraram o país da crise. A reportagem é do Portal UOL. 

Em sua opinião, o ex-presidente Michel Temer (MDB) se deixou dominar pela corrupção e o presidente Jair Bolsonaro (PSL) vive um "processo alucinatório" e coloca a democracia brasileira em risco.

Para Reale Júnior, o governo Bolsonaro vem atacando "todas as classes que representam uma capacidade crítica". O jurista chama isto de "fascismo cultural".

"O fascismo cultural corta pela rama toda a capacidade de pensamento, de crítica, de divergência. A diversidade desaparece. O lema é este: é proibido pensar, mas é permitido obedecer", afirma o jurista, que é professor titular de direito penal da Faculdade de Direito da USP (Universidade de São Paulo) e ocupou o cargo de ministro da Justiça durante o governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247