Bope prende Danúbia, a 'Xerifa da Rocinha'

Namorada do traficante Nem estava numa casa da Rocinha para ver a filha do casal; ela foi levada delegacia; "Xerifa", como gosta de ser chamada, ostentava vida de luxo e usava dinheiro do trfico para comprar roupas e jias; tem muito a explicar

www.brasil247.com - Bope prende Danúbia, a 'Xerifa da Rocinha'
Bope prende Danúbia, a 'Xerifa da Rocinha' (Foto: Divulgação)


Rio 247 _ Policiais militares do Bope (Batalhão de Operações Especiais) encontraram na tarde desta sexta-feira na favela da Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro, Danúbia de Souza Rangel, namorada do traficante Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem, que comandava o comércio de drogas na favela. Danúbia estava em uma casa em cima do salão de beleza da sua cabelereira de confiança na favela após ter retornado ao local hoje.

Danúbia, conhecida como a "Xerifa da Rocinha", foi levada pelos PMs para prestar depoimento na 15ª Delegacia de Polícia (Gávea). Não há mandados de prisão contra ela. Ela não ofereceu resistência e disse que tinha voltado à favela para ver a sua filha com Nem. Danúbia telefonou para um advogado para acompanhá-la até a DP e confirmou que estava escondida em Pilares, na Zona Norte do Rio.

"Xerifa" namorava Nem há pelo menos cinco anos e tinha uma vida de luxo. Gostava, inclusive, de gastar o dinheiro do traficante com joias e roupas de grife que exibia na favela diariamente.

Segundo infomações do site IG, uma escuta telefônica revelou que o traficante batia na namorada. Em uma conversa de Danúbia interceptada pela polícia, ela disse que apanhou do namorado por ter ido a uma festa com vestido curtinho e ficou bêbada.

Ontem, o traficante Robson Silva Alves Porto, apontado pela polícia como braço direito do Nem, foi preso por policiais civis em uma casa em Realengo, próximo à Vila Vintém. Robson é conhecido pelo apelido de "99" e atuava como uma espécie de "gerente" na Favela do Vidigal.

Nem foi preso neste mês, durante operação de ocupação da comunidade pela polícia. Durante a operação, foram apreendidas mais de cem armas, entre elas, 73 fuzis.

A mulher do Nem já foi investigada devido a suspeitas de lavagem de dinheiro em inquérito da Polinter, na Polícia Civil. Chegou a ser expedido um mandado de prisão contra ela, mas, este acabou sendo revogado. Segundo os policiais, ela usufruía do dinheiro arrecadado com a venda de drogas para ostentar luxo na favela.

 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email