Boulos: “Casa Verde e Amarela de Bolsonaro é pior que o BNH da ditadura”

Um dos principais líderes da luta por moradia urbana no Brasil, Guilherme Boulos comparou o novo programa lançado por Bolsonaro ao Banco Nacional da Habitação, criada em 1964. "O governo matou o programa social e o transformou em um programa de crédito", diz

Boulos, do MTST, critica programa de habitação de Bolsonaro
Boulos, do MTST, critica programa de habitação de Bolsonaro (Foto: Marcos Corrêa/PR | Felipe L. Gonçalves/Brasil247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Líder do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), Guilherme Boulos, criticou o formato do programa de habitação ‘Casa Verde e Amarela’, lançado pelo governo de Jair Bolsonaro nesta terça-feira (25), uma substituição ao Minha Casa Minha Vida, dos governos do PT. “O Casa Verde e Amarela de Bolsonaro é pior que o BNH da ditadura”, comparou Boulos.

O BNH (Banco Nacional da Habitação) foi uma empresa criada pela ditadura, em 1964, para financiar a compra e construção de imóveis com juros reduzidos. Ao jornalista Leonardo Sakamoto, do UOL, Boulos explicou o porquê da comparação:

“Cerca de 92% do déficit habitacional brasileiro é composto de famílias que ganham até três salários mínimos. Elas não são sujeitos de crédito bancário. Ou seja, não passam em critérios como capacidade de pagamento, fundo de garantia, entre outros. Por isso, o BNH construiu, basicamente, para a classe média enquanto existiu”.

“A única forma de fazer programa social, construir casa para pobre no país, é com subsídio forte. O que o governo Bolsonaro chama de subsídio são juros subsidiados, que amortizam o impacto das prestações, não é garantir acesso. Ou seja, o governo matou o programa social e o transformou em um programa de crédito”, acrescentou.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247