Boulos critica “esculhambação” de Temer e do Judiciário

"Mais uma da República da esculhambação. Um 'grande acordo nacional' de Temer garante o aumento de salário dos ministros do STF. No meio da crise, o lobby dos privilégios fala mais alto do que investimentos em necessidades da maioria do povo brasileiro. Vamos reverter essa lógica", afirmou o presidenciável do Psol

Boulos critica “esculhambação” de Temer e do Judiciário
Boulos critica “esculhambação” de Temer e do Judiciário (Foto: Esq.: Lula Marques - Ag. PT / Dir.: Darren Ornitz - Reuters)

247 - O candidato do Psol à presidência da República, Guilherme Boulos, criticou o aumento salarial para juízes.

"Mais uma da República da esculhambação. Um 'grande acordo nacional' de Temer garante o aumento de salário dos ministros do STF. No meio da crise, o lobby dos privilégios fala mais alto do que investimentos em necessidades da maioria do povo brasileiro. Vamos reverter essa lógica", escreveu o presidenciável no Twitter.

Após acordo entre Michel Temer e com o Supremo Tribunal Federal, o Judiciário terá o reajuste de 16,38% em 2019, aumentando o teto de R$ 33 mil para R$ 39 mil, em troca do fim do auxílio-moradia para a magistratura federal, no valor de R$ 4,7 mil. 

Segundo cálculos de técnicos da Câmara dos Deputados, o reajuste poderá implicar em mais R$ 930 milhões somente com despesas decorrentes deste aumento, valor que pode chegar a R$ 1,1 bilhão levando em consideração os servidores do Executivo com rendimentos atrelados ao teto do Supremo. O aumento salarial pode gerar um efeito cascata, porque as remunerações da Corte servem de base para todo o Judiciário.

'Grande acordo'

As expressões "grande acordo nacional" e "com Supremo, com tudo" ganharam destaque na imprensa em 2016, após ser divulgada uma conversa entre o senador Romero Jucá (MDB-RR) e o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, que seria uma tentativa de barrar as investigações da Operação Lava Jato, da Polícia Federal.

Machado afirma: "Rapaz, a solução mais fácil era botar o Michel [Temer]". Jucá responde: "Só o Renan [Calheiros] que está contra essa porra. 'Porque não gosta do Michel, porque o Michel é Eduardo Cunha'. Gente, esquece o Eduardo Cunha, o Eduardo Cunha está morto, porra". Em seguida, Machado continua: "É um acordo, botar o Michel, num grande acordo nacional". Jucá: "Com o Supremo, com tudo". Machado: "com tudo, aí parava tudo". Jucá: "É. Delimitava onde está, pronto".

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247