Boulos: estamos em abril de 2018 ou 1964?

Pré-candidato do PSOL à presidência, Guilherme Boulos reagiu com indignação à declaração do general do Exército da reserva Luiz Gonzaga Schroeder Lessa, que afirmou que, se o Supremo mudar o posicionamento contra a prisão após condenação em segunda instância, "aí eu não tenho dúvida de que só resta o recurso à reação armada. Aí é dever da Força Armada restaurar a ordem"; "Absurdo! General da Reserva defende novo golpe militar se Lula for candidato. Estamos em abril de 2018 ou 1964?", questionou Boulos no Twitter

Pré-candidato do PSOL à presidência, Guilherme Boulos reagiu com indignação à declaração do general do Exército da reserva Luiz Gonzaga Schroeder Lessa, que afirmou que, se o Supremo mudar o posicionamento contra a prisão após condenação em segunda instância, "aí eu não tenho dúvida de que só resta o recurso à reação armada. Aí é dever da Força Armada restaurar a ordem"; "Absurdo! General da Reserva defende novo golpe militar se Lula for candidato. Estamos em abril de 2018 ou 1964?", questionou Boulos no Twitter
Pré-candidato do PSOL à presidência, Guilherme Boulos reagiu com indignação à declaração do general do Exército da reserva Luiz Gonzaga Schroeder Lessa, que afirmou que, se o Supremo mudar o posicionamento contra a prisão após condenação em segunda instância, "aí eu não tenho dúvida de que só resta o recurso à reação armada. Aí é dever da Força Armada restaurar a ordem"; "Absurdo! General da Reserva defende novo golpe militar se Lula for candidato. Estamos em abril de 2018 ou 1964?", questionou Boulos no Twitter (Foto: Gisele Federicce)

247 - Pré-candidato do PSOL à presidência, o líder do MTST, Guilherme Boulos, reagiu com indignação à declaração do general do Exército da reserva Luiz Gonzaga Schroeder Lessa, que afirmou que, se o Supremo mudar o posicionamento contra a prisão após condenação em segunda instância no julgamento do habeas corpus contra a prisão do ex-presidente Lula, haverá reação armada.

Para o general, se o Supremo Tribunal Federal deixar Lula solto, estará agindo como "indutor" da violência entre os brasileiros, "propagando a luta fratricida, em vez de amenizá-la". As declarações foram feitas ao Estado de S.Paulo.

"Se acontecer tanta rasteira e mudança da lei, aí eu não tenho dúvida de que só resta o recurso à reação armada. Aí é dever da Força Armada restaurar a ordem. Mas não creio que chegaremos lá", declarou ainda.

"Absurdo! General da Reserva defende novo golpe militar se Lula for candidato. Estamos em abril de 2018 ou 1964?", questionou Boulos no Twitter.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247