Boulos: Moro legaliza a pena de morte

O coordenador nacional do MTST, Guilherme Boulos, bateu duro na proposta do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, de incluir na proposta de mudança dos códigos Penal e de Execução Penal a possibilidade de redução ou isenção de pena de policiais que causarem morte durante sua atividade; a medida é uma das bandeiras de campanha do presidente Jair Bolsonaro; "Moro lança pacote 'anticrime' que possibilita zerar a pena de policiais que matarem em serviço e comprovarem 'medo, surpresa ou violenta emoção'. É a legalização da pena de morte, sem julgamento, praticada por agentes públicos", disse 

Boulos: Moro legaliza a pena de morte
Boulos: Moro legaliza a pena de morte
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, bateu duro na proposta do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, de incluir na proposta de mudança dos códigos Penal e de Execução Penal a possibilidade de redução ou isenção de pena de policiais que causarem morte durante sua atividade. A medida é uma das bandeiras de campanha do presidente Jair Bolsonaro.

"Moro lança pacote 'anticrime' que possibilita zerar a pena de policiais que matarem em serviço e comprovarem 'medo, surpresa ou violenta emoção'. É a legalização da pena de morte, sem julgamento, praticada por agentes públicos", disse o ativista no Twitter.

Segundo a proposta de Moro, o juiz pode reduzir a pena até a metade ou deixar de aplicá-la se o excesso for decorrente de escusável medo, surpresa ou violenta emoção. A proposta diz que  será considerada legítima defesa situações em que policial estiver em conflito armado ou em risco iminente de conflito armado, e "previne injusta e iminente agressão a direito seu ou de outrem".

Outra circunstância seria o agente que "previne agressão ou risco de agressão à vítima mantida refém durante a prática de crimes".

De acordo com a legislação atual, legítima defesa é quando o policial, "usando moderadamente dos meios necessários, repele injusta agressão, atual ou iminente, a direito seu ou de outrem".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247