Boulos sugere que proposta de Bolsonaro para a educação é antidemocrática

"Bolsonaro propõe a volta da 'Educação Moral e Cívica' no currículo escolar ao invés da sociologia e da filosofia. Memória de um tempo onde lutar por seu direito é um defeito que mata: há 50 anos, as crianças eram obrigadas a exaltar amor por uma ditadura que torturava e matava", afirmou o presidenciável do Psol

Boulos sugere que proposta de Bolsonaro para a educação é antidemocrática
Boulos sugere que proposta de Bolsonaro para a educação é antidemocrática (Foto: Esq.: Divulgação / Dir.: Gustavo Lima - Câmara)

247 - O candidato do Psol à presidência da República, Guilherme Boulos, criticou a proposta do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) de resgatar para os currículos das escolas disciplinas herdadas da ditadura militar -  educação moral e cívica (EMC) e a organização social e política brasileira (OSPB).

"Bolsonaro propõe a volta da 'Educação Moral e Cívica' no currículo escolar ao invés da sociologia e da filosofia. Memória de um tempo onde lutar por seu direito é um defeito que mata: há 50 anos, as crianças eram obrigadas a exaltar amor por uma ditadura que torturava e matava", escreveu Boulos no Twitter.

De acordo com o vice de Bolsonaro, o general Hamilton Mourão (PRTB), o objetivo é incutir nos alunos no culto à pátria e à ética, ensinando hinos, símbolos e como funcionam as instituições nacionais. "A gente defende o resgate de valores, não só da disciplina, mas valores da nacionalidade que ficaram perdidos no caminho e que não foram incutidos na cabeça da criança e do jovem. O amor à verdade, lealdade, responsabilidade", disse Mourão. Seu relato foi publicado pelo jornal Folha de S. Paulo.

A EMC e a OSPB se tornaram obrigatórias na grade curricular das séries atualmente equivalentes ao ensino fundamental e médio em 1969, durante a Junta Militar que sucedeu o governo do general Costa e Silva. As duas disciplinas substituíram sociologia e filosofia.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247