Brasil irá apoiar resolução que condena Rússia no Conselho de Segurança da ONU

Resolução ainda será discutida entre o ministro das Relações Exteriores, Carlos França, e o secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken

www.brasil247.com -
(Foto: Domínio público)


Lisandra Paraguassu, Reuters - O Brasil irá votar pela aprovação da resolução apresentada pelos Estados Unidos ao Conselho de Segurança das Nações Unidas condenando a invasão da Ucrânia pela Rússia, disseram à Reuters duas fontes que acompanham as negociações.

Apesar de avaliar que a resolução é excessivamente dura, o governo brasileiro considerou necessária a aprovação como um gesto neste momento, mesmo ressalvando que, como a Rússia tem poder de veto no Conselho de Segurança, a resolução não terá efeitos práticos.

"Vamos apoiar a resolução e condenaremos a invasão no Conselho", disse uma das fontes. "A Rússia infringiu as regras das Nações Unidas ao invadir outro país, não pode não haver condenação desse fato."

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A resolução ainda será discutida entre o ministro das Relações Exteriores, Carlos França, e o secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, em uma conversa por telefone nesta sexta-feira, às 10h30.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os EUA buscam o maior número favorável de votos para dar mais força à resolução, mesmo com o veto da Rússia.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email