Brasil pode ganhar com comércio na era Trump, diz embaixador em Washington

Para o embaixador brasileiro em Washigton, Sérgio Amaral, o País pode vir a ter ganhos comerciais na era Trump; a avaliação do diplomata, o Brasil não faz parte de nenhum dos “problemas” apontados por Donald Trump na campanha eleitoral e deve ficar à margem de mudanças que serão implementadas pelo presidente eleito dos EUA; Amaral ressalta que o Brasil tem déficit comercial com os EUA, investe e produz empregos no país e não tem uma grande população de imigrantes nos EUA

Sérgio Amaral, Embaixador do Brasil em Washington 
Sérgio Amaral, Embaixador do Brasil em Washington  (Foto: Giuliana Miranda)

247 - Para o embaixador brasileiro em Washigton, Sérgio Amaral, o País pode vir a ter ganhos comerciais na era Trump. Na avaliação do diplomata, o Brasil não faz parte de nenhum dos “problemas” apontados por Donald Trump na campanha eleitoral e deve ficar à margem de mudanças que serão implementadas pelo presidente eleito dos EUA. Amaral ressalta que o Brasil tem déficit comercial com os EUA, investe e produz empregos no país e não tem uma grande população de imigrantes nos EUA. 

As informações são do Estado de S.Paulo. 

"O Brasil não deve ser afetado de maneira direta por nenhum dos problemas que Trump apontou.

A rejeição do Tratado Trans-Pacífico (TTP) deve ocorrer. A revisão do Nafta possivelmente aconteça. O fato de não haver o TTP pode ser interessante para nós. Será que não haverá oportunidade de maior aproximação entre o Mercosul e a Aliança do Pacífico, de maior convergência na América do Sul? Trump propõe tarifas a outros países que têm grande superávit comercial com os EUA. Nos últimos dez anos, o Brasil teve déficit. Na área de investimentos, a acusação é que países como a China estão levando investimentos e causando desemprego nos EUA. Nos últimos anos o Brasil investiu US$ 24 bilhões nos EUA e criou 80 mil empregos. E a participação na imigração é pequena comparada à de outros países.

Se houver vontade dos dois lados, temos de ter um pouco mais de flexibilidade. É melhor ter 80% de algo do que 100% de zero.

Na área do comércio, se o novo governo quiser privilegiar acordos bilaterais, nós não temos nenhum problema. Na área de ciência e tecnologia, existem as negociações da base de Alcântara, que tem a melhor localização do mundo para o lançamento de satélites. O Brasil gastou cerca de US$ 1 bilhão em um acordo com a Ucrânia, sem resultado. Existe interesse dos dois lados de usar a base para o lançamento de satélites. Os EUA querem preservar a propriedade intelectual de sua tecnologia." 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247