Braskem entrega todos os e-mails de Roberto Ramos

Empresa subsidiária da empreiteira Odebrecht informa em nota ter entregue às autoridades, conforme requisitado pela Polícia Federal, todos os e-mails do ex-funcionário Roberto Prisco Ramos; e-mail enviado por ele a Marcelo Odebrecht e outros membros da companhia incriminou o presidente da empreiteira, levando-o à prisão; mensagem falava de sobrepreço de até US$ 25 mil por dia na operação de sondas; a Braskem afirma que o e-mail, datado de 2011, "não tem relacionamento com as atividades operacionais" da empresa

Empresa subsidiária da empreiteira Odebrecht informa em nota ter entregue às autoridades, conforme requisitado pela Polícia Federal, todos os e-mails do ex-funcionário Roberto Prisco Ramos; e-mail enviado por ele a Marcelo Odebrecht e outros membros da companhia incriminou o presidente da empreiteira, levando-o à prisão; mensagem falava de sobrepreço de até US$ 25 mil por dia na operação de sondas; a Braskem afirma que o e-mail, datado de 2011, "não tem relacionamento com as atividades operacionais" da empresa
Empresa subsidiária da empreiteira Odebrecht informa em nota ter entregue às autoridades, conforme requisitado pela Polícia Federal, todos os e-mails do ex-funcionário Roberto Prisco Ramos; e-mail enviado por ele a Marcelo Odebrecht e outros membros da companhia incriminou o presidente da empreiteira, levando-o à prisão; mensagem falava de sobrepreço de até US$ 25 mil por dia na operação de sondas; a Braskem afirma que o e-mail, datado de 2011, "não tem relacionamento com as atividades operacionais" da empresa (Foto: Gisele Federicce)

247 – A Braskem informou em nota divulgada nesta sexta-feira 26 ter entregue às autoridades, conforme requisitado pela Polícia Federal, todos os emails de Roberto Prisco Ramos, que estavam armazenados nos servidores da empresa.

Um e-mail de 2011 enviado por Ramos ao presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e outros funcionários da empreiteira incriminou o executivo, levando-o à prisão no âmbito da Operação Lava Jato.

A mensagem continha menção a um sobrepreço de até US$ 25 mil por dia na operação de sondas, o que, para os investigadores, revela que Marcelo Odebrecht tinha conhecimento da prática dentro da empresa.

A Odebrecht alega que "o termo sobre-preço' nada tem a ver com superfaturamento, cobrança excessiva, ou qualquer irregularidade. Representa, apenas, a remuneração contratual que a Odebrecht Óleo e Gás, como operadora de sondas, propôs à Sete Brasil".

Segundo a Braskem, o e-mail de 2011 "não tem relacionamento com as atividades operacionais da Braskem". A companhia reforça que está à disposição das autoridades para colaborar com as investigações. Leia abaixo:

COMUNICADO À IMPRENSA

A Braskem informa que, em cumprimento ao requisitado pela Polícia Federal, entregou às autoridades, nesta sexta-feira (26), no prazo de cinco dias estipulado, todas as mensagens eletrônicas do ex-funcionário Roberto Prisco Ramos armazenadas nos servidores. O processo de coleta foi auditado por empresa de auditoria independente e certificado com fé pública por tabelião.

Roberto Prisco Ramos deixou de ser funcionário da Braskem em dezembro de 2010, quando foi transferido para outra empresa da Organização Odebrecht. O e-mail abordando as questões de sondas de óleo e gás, datado de março de 2011 e que está em posse das autoridades policiais desde novembro de 2014, não tem relacionamento com as atividades operacionais da Braskem.

A empresa reafirma que segue empenhada na elucidação dos fatos e à disposição das autoridades competentes para colaborar com as investigações.

Braskem

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247