Cabral acerta com Dilma uso de forças federais no Rio

Encontram-se de prontido 14 mil soldados do Exrcito, alm do suporte logstico da Marinha e da Aeronutica, para manter a segurana do Estado a uma semana do Carnaval

Cabral acerta com Dilma uso de forças federais no Rio
Cabral acerta com Dilma uso de forças federais no Rio (Foto: FABIO RODRIGUES-POZZEBOM/AGÊNCIA BRASIL)

247 – O governo do Rio de Janeiro não esperou o dia amanhecer para criar uma estratégia de segurança contra a greve da PM e dos bombeiros anunciada na noite de ontem. Em conversa telefônica com Dilma Rousseff, o governador Sérgio Cabral (PMDB) combinou o emprego de forças federais para garantir a ordem no Estado.

Segundo o blogueiro Josias de Souza, em diálogos anteriores, Dilma já havia colocado à disposição de Cabral o Exército e a Força Nacional de Segurança. O governador, porém, dissera acreditar que não seria necessário. Nesse último contato, mudou o tom.

Cabral ainda estava otimista porque acredita no projeto que enviou às pressas para a Assembleia Legislativia, que prevê a antecipação para fevereiro de reajuste que seria pago em 11 parcelas de 0,915% ao longo do ano. O texto foi aprovado. Mas não evitou a greve.

Reunidos em assembléia, os bombeiros, a PM, a Polícia Civil e os agentes penitenciários do Rio decidiram cruzar os braços a partir de 0h. Juntas, as três categorias reúnem cerca de 70 mil pessoas. Desse total, apenas 2.500 compareceram ao encontro que decidiu pela greve.

Em combinação com o Planalto, o Exército já havia acionado o Comando Militar do Leste. Encontram-se de prontidão 14 mil soldados. O plano de ação prevê o suporte logístico da Marinha e da Aeronáutica. Tudo isso a uma semana do Carnaval.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247