Calero humilha Temer: bandido que recebeu na calada da noite?

Ex-ministro da Cultura, que deixou o governo Temer após denunciar que estava sendo alvo de pressão para que liberasse uma obra em benefício pessoal de Geddel Vieira Lima, rebateu declaração de Temer contra a entrevista do empresário Joesley Batista; o peemedebista se referiu ao dono da JBS como "bandido notório" ao anunciar que o processará na Justiça; "Bandido que ele recebeu na calada da noite, no porão do palácio, dando codinome. Ah, usou seu jatinho também, recebeu até flores dele...", ironizou Marcelo Calero

Ex-ministro da Cultura, que deixou o governo Temer após denunciar que estava sendo alvo de pressão para que liberasse uma obra em benefício pessoal de Geddel Vieira Lima, rebateu declaração de Temer contra a entrevista do empresário Joesley Batista; o peemedebista se referiu ao dono da JBS como "bandido notório" ao anunciar que o processará na Justiça; "Bandido que ele recebeu na calada da noite, no porão do palácio, dando codinome. Ah, usou seu jatinho também, recebeu até flores dele...", ironizou Marcelo Calero
Ex-ministro da Cultura, que deixou o governo Temer após denunciar que estava sendo alvo de pressão para que liberasse uma obra em benefício pessoal de Geddel Vieira Lima, rebateu declaração de Temer contra a entrevista do empresário Joesley Batista; o peemedebista se referiu ao dono da JBS como "bandido notório" ao anunciar que o processará na Justiça; "Bandido que ele recebeu na calada da noite, no porão do palácio, dando codinome. Ah, usou seu jatinho também, recebeu até flores dele...", ironizou Marcelo Calero (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-ministro da Cultura Marcelo Calero rebateu neste sábado 17 declaração de Michel Temer contra a entrevista do empresário Joesley Batista à revista Época neste fim de semana.

O peemedebista se referiu ao dono da JBS como "bandido notório" ao anunciar que o processará na Justiça por conta da entrevista.

"Bandido que ele recebeu na calada da noite, no porão do palácio, dando codinome. Ah, usou seu jatinho também, recebeu até flores dele...", ironizou Calero.

Calero deixou o governo Temer após denunciar que estava sendo alvo de pressão para que liberasse uma obra imobiliária em benefício pessoal do também ex-ministro Geddel Vieira Lima, um dos principais aliados de Temer.

Mais cedo, também pelo Twitter, Calero fez a seguinte pergunta ao compartilhar um trecho da entrevista de Joesley, em que ele diz que Geddel intermediava silêncio de Cunha.

"Entenderam agora as 'dificuldades operacionais' a que Temer se referiu quando reclamou que não atendi ao pleito de Geddel?".

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247