Calote em construtoras ameaça parar Minha Casa Minha Vida

As construtoras que atuam no Minha Casa Minha Vida denunciam que o governo não tem honrado os contratos e está aplicando calote no setor, o que levou os empresários a ameaçarem parar a construção de residências populares dentro do projeto; foi somente diante dessa ameaça que o governo decidiu liberar R$ 800 milhões adicionais para o programa de habitação popular; sob o comando de Paulo Guedes, economia retrocede

Calote em construtoras ameaça parar Minha Casa Minha Vida
Calote em construtoras ameaça parar Minha Casa Minha Vida (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - As construtoras que atuam no Minha Casa Minha Vida denunciam que o governo não tem honrado os contratos e está aplicando calote no setor, o que levou os empresários a ameaçarem parar a construção de residências populares dentro do projeto.

Foi somente diante dessa ameaça que o governo decidiu liberar R$ 800 milhões adicionais para o programa de habitação popular.

Reportagem de Danielle Brant e Anaïs Fernandes no jornal Folha de S.Paulo revela que "a liberação de recursos suplementares ocorreu após pressão das construtoras, principalmente as que atuam na faixa 1 do programa, destinada a famílias com renda até R$ 1.800 mensais. Nesse segmento, 90% do valor do imóvel é subsidiado com recursos do Orçamento, por meio do FAR (Fundo de Arrendamento Residencial).

Leia mais

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247